Fale Conosco

27 de junho de 2011

Ricardo anuncia investimentos de R$ 10 mi para recuperação de estradas



Durante o programa “Fala Governador” desta segunda-feira (27), transmitido pela Rádio Tabajara às segundas, das 12h às 13h, o governador Ricardo Coutinho anunciou para o segundo semestre de 2011 investimentos de R$ 10 milhões para recuperação de mil quilômetros de estradas que estão em péssimo estado de conservação. No calendário de obras, estão previstos para os próximos dias a assinaturas das Ordens de Serviço para pavimentação da estrada entre Natuba e Umbuzeiro, possibilitando o escoamento da produção da uva da região e da rodovia que liga Cajá, Caldas Brandão e Mari.

Segundo dados apresentados pelo governador, em cinco meses e meio foram investidos R$ 242,6 milhões na recuperação e na pavimentação de 665 quilômetros de rodovias estaduais. Ricardo disse que são 340 quilômetros de pavimentação e 325 de restauração. “A situação da malha rodoviária do Estado é muito crítica e não posso, na condição de governador, tentar ‘tapar o sol com a peneira’. Cerca de dois mil quilômetros estão deteriorados por falta de manutenção e investimento”, disse.

Diante desse contexto, a estratégia do Estado é investir o montante para recuperar os trechos que são possíveis garantir um bom tráfego, além dos investimentos na construção de outras dentro do Programa Caminhos da Paraíba. “A nossa meta é recuperar dois mil quilômetros, depois mais mil e avançar para que a Paraíba volte a ter uma das melhores malhas rodoviárias do país. Estamos num ritmo intenso de obras como a recuperação da estrada entre Lastro a Sousa, Picuí a Frei Martinho, Soledade Picuí, Mulungu a Alagoinha e inauguramos Mamanguape /Araçagi e Areia Pilões. São obras de verdade e vamos entregar mais de 30 estradas no próximo ano”, garantiu o governador.

Os avanços na área de recursos hídricos com investimentos superiores a R$ 207 milhões também foram destacados pelo governador Ricardo Coutinho, durante o programa. Atualmente estão sendo construídas seis adutoras (Translitorânea-João Pessoa; São José –Campina, Itaporanga, Queimadas, Paulista e Patos/ Assunção). Além das barragens de Jandaia no Brejo e recuperação das barragens do Saco em Nova Olinda. “A Paraíba busca recuperar o tempo perdido para trazer segurança hídrica para o seu povo”.

PAC 2 - O Estado também espera os recursos do PAC 2 que foram assegurados pelo Ministério da Integração Nacional para a construção das barragens Nova Camará e Pitombeiras (Alagoa Grande) e para a interligação das águas da Transposição. Na avaliação do governador, o problema da Paraíba não é a falta de barragens, mas o transporte dessa água por meio de adutoras e também o tratamento que faz com que a água chegue às casas da população. “Existem cidades como Cajazeiras onde o sistema de tubos em amianto, que foi implantado na década de 70, com a necessidade de utilizar mais pressão para levar água aos novos bairros acaba rompendo”, destacou o governador.

Para resolver problemas como este, o Estado vai investir na construção de adutoras e de sistemas de tratamentos, algumas delas como a Translitorânea, que estava paralisada. “Conseguimos garantir os recursos para resolver nos próximos 30 anos o problema da água na grande João Pessoa. A adutora São José também estava parada e está sendo feita para levar a água de Boqueirão para a estação de tratamento de Campina Grande”, explicou.

O governador informou que conseguiu assegurar junto ao Ministério da Integração Nacional R$ 3 milhões, e o Estado dará a contrapartida necessária para construir passagens molhadas como forma de estimular a produção local da agricultura familiar. “Estamos muito determinados a garantir não só o direito das pessoas ir e vir, mas também que tenham o direito de comercializar os seus produtos”, completou.