João Pessoa
Feed de Notícias

Resultado contábil positivo de 2009 é o melhor desde 2003, período marcado por déficits sucessivos

segunda-feira, 1 de março de 2010 - 19:20 - Fotos: 
Depois de anos de prejuízo, com balanços negativos sucessivos, a Companhia Docas da Paraíba – que administra o Porto de Cabedelo – registrou superávit nas suas operações. O fechamento do balanço contábil de 2009 apresenta um resultado financeiro equivalente a R$ 1.549.336,20. Esse montante, já com a dedução da Contribuição Social e Imposto de Renda, equivale a um lucro líquido de R$ 1.130.815,46. Entre 2003 e 2009, essa foi a primeira vez que o Porto teve um balanço contábil positivo.

“Esse é o melhor resultado dos últimos anos”, comemorou nesta segunda-feira (1º), o diretor-presidente da Companhia Docas da Paraíba, Wagner Breckenfeld. Segundo ele, ao longo de 2009 o Porto movimentou quase um milhão de toneladas de mercadorias, entre importação e exportação, o que resultou nesse lucro líquido de mais de R$ 1 milhão correspondente a tarifas, arrendamentos e armanezamento de mercadorias.

Só em volume de operações, o Porto de Cabedelo chegou à marca de 990 mil toneladas de mercadorias, importadas e exportadas através do terminal, graças também às novas empresas que passaram a operar no ancoradouro, entre elas o grupo Votorantin e Cimpor.

Apoio a medidas – “Vale salientar que os três primeiros meses de 2009, administrados pela antiga gestão, apontaram déficit e que se não fosse esse fato o lucro da instituição seria ainda maior”, destaca Wagner, lembrando o apoio que teve do governador José Maranhão nas medidas e ações implementadas ao longo de sua gestão que foram fundamentais para se atingir esses resultados positivos.

Entre as medidas e ações ele destaca a cobrança de débitos que não estavam sendo pagas pela utilização do porto, austeridade nas compras, corte de despesas não essenciais e prospecção de novos negócios. “As afirmações de que o Porto de Cabedelo é obsoleto, que não dá lucro e que tem uma contribuição ínfima no desenvolvimento do Estado fazem parte do passado”, argumenta.

Ainda segundo o diretor presidente da Companhia Docas da Paraíba, as principais fontes de receita da empresa estão assim discriminadas percentualmente: a estrutura de acesso aquaviário (navios que usam a estrutura do porto) responde por 26%; operações portuárias representam 37%, o arrendamento corresponde a 30% e o restante da receita advém de serviços diversos.

Retrospectiva – Dados do setor contábil da Docas/PB atestam que em 2003 o balanço contábil apontou um resultado negativo de pouco mais de R$ 970 mil. No ano seguinte, o déficit foi reduzido para R$ 53 mil. Em 2005, o balanço da empresa registrou resultados negativos que superaram os R$ 600 mil. Em 2006, outro resultado negativo, dessa vez por pouco mais de R$ 189 mil. Em 2007, o balanço foi ainda pior com um déficit que ultrapassou R$ 1 milhão, mais precisamente, R$ 1.264.758,57. Em 2008, o balanço contábil registrou um valor negativo de pouco mais de R$ 740 mil. E agora, no atual governo, o Porto registra um superávit de mais de R$ 1 milhão.
 

Da Assessoria de Imprensa do Porto de Cabedelo