João Pessoa
Feed de Notícias

Reforma do Espaço Cultural prossegue e várias etapas recebem acabamento

quarta-feira, 9 de abril de 2014 - 09:23 - Fotos:  João Francisco/Secom-PB

Cerca de 200 funcionários trabalham durante os turnos da manhã e da tarde nas obras do Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa. A reforma na Praça do Povo encontra-se adiantada. Alguns serviços, como a troca da cobertura e do piso, já estão em fase de acabamento. A Escola de Dança, a área administrativa, a Estação Ciência, os mezaninos e os auditórios também são finalizados.

De acordo com o engenheiro responsável pela reforma, Márcio Ibrahin, os serviços estão avançados. Mais de 70% foram concluídos, porém ainda há muito trabalho pela frente, devido à necessidade de novos serviços detectada ao longo da reforma. “A complexidade da obra aumentou bastante, na medida em que a reforma começou a ser executada. Por se tratar de um prédio com mais de 30 anos, muitos serviços que inicialmente não estavam previstos precisaram ser feitos por questão de segurança, devido ao elevado grau de deterioração em que se encontravam as instalações do Espaço Cultural”, justifica o engenheiro.

O presidente da Funesc, Lau Siqueira, que acompanha a execução, estima que o Espaço Cultural fique pronto nos próximos meses. “Nossa responsabilidade é grande e é imensa a nossa vontade de fazer com que o Espaço se transforme num local de efervescência cultural e artística, numa aldeia criativa. Por isso, queremos repensar o seu funcionamento e o seu conceito. É um investimento que vai dar um grande impulso à produção paraibana. Uma conquista do movimento cultural”, explica Lau.

A troca da cobertura do prédio já foi concluída, uma área que equivale a 33.000 m². Com as telhas termoacústicas, tipo sanduíche, de policarbonato recentemente postas, a Praça do Povo ganhou reforço da luz natural, o que possibilita uma considerável economia de energia elétrica. A iluminação antiga está sendo substituída por lâmpadas de LED, mais modernas e econômicas. O piso de cimento também foi renovado e ainda passará por polimento e tratamento especial.

Os banheiros que atendem à Praça do Povo já recebem as modificações. As instalações hidráulicas, que estavam completamente danificadas, foram refeitas. O piso de cerâmica e o revestimento das paredes foram trocados. O próximo passo é instalar as louças sanitárias, o granito e o forro de gesso. A reforma dos banheiros será finalizada com a pintura do ambiente.

A nova recepção do Espaço Cultural, que possui uma área de mais de 3.000 m², recebe as melhorias que atendem às novas tendências arquitetônicas e de acessibilidade. A guarita e a bilheteria serão refeitas. Os boxes antigos foram derrubados e novos, com estrutura padronizada, estão sendo levantados. Oito boxes farão parte da Praça do Povo, dois deles exclusivos para alimentação.

No entorno do prédio foi feita a poda das árvores e o estacionamento está sendo reformulado. Será realizada uma recuperação geral em toda a área de estacionamento interno e melhorias na iluminação.

Escola de dança – Localizada no subsolo do prédio, os serviços desse ambiente também estão em fase de acabamento. A área de 1.081 m² teve o piso e o revestimento removidos. Foram substituídos por piso vinílico e lâminas de madeira. O layout da escola de dança também foi redefinido. Agora, a administração passa a ter uma sala maior, adequada ao serviço da equipe.

A sala de ginástica também foi recuperada. Dentro das salas de dança, além do piso de madeira, os ambientes ganharam novos espelhos e barras. Portas de segurança mais eficientes em eventuais situações de emergências foram postas para garantir o conforto dos usuários e funcionários. Ainda haverá revisão na rede elétrica e sanitária. A climatização será reforçada. O espaço ainda ganha forro de gesso e pintura.

Mezaninos e auditórios – Utilizados para as mais diversificadas atividades, como exposições de arte, apresentações culturais, feiras e whorkshops, os mezaninos são ambientes importantes para a ocupação do Espaço Cultural, que também contam com oito auditórios igualmente usados de maneira variada. Todos os auditórios já tiveram o carpete retirado. Foi colocado piso vinílico. O forro de gesso também foi retirado e substituído por PVC. A climatização foi trocada. Agora, os ambientes são refrigerados por ar-condicionado split. A rede elétrica será revisada e todas as luminárias serão substituídas. O serviço será concluído com a pintura.

Bloco de música - Um dos grandes destaques da reforma é a concentração das atividades de música, em dois blocos. A Escola de Música Anthenor Navarro (Eman) e a Escola Especial Juarez Jhonson (Emejj) passam a se instalar no mesmo local, no bloco da rampa 2. O espaço está sendo reformado para atender aos alunos de forma adequada à dinâmica de cada tipo de curso e suas necessidades. Banheiros acessíveis estão sendo construídos. As duas escolas terão uso comum do auditório, copa, almoxarifado, musicoteca, memorial Gerardo Parente, Arquivo Morto e Núcleo de Pesquisa.

A Emejj será equipada com recepção, secretaria, diretoria, brinquedoteca, sala de professores, cinco salas de aula individuais, e sala coletiva. A escola de música Antenor Navarro irá receber recepção, sala de psicólogo, sala de professores, administração, diretoria, 18 salas de aula individuais, e cinco salas de teoria musical. Essas mudanças farão diferença na produtividade das escolas. Ambas poderão até dobrar a capacidade de atendimento. “Como a estrutura ficará mais confortável, com mais salas e revestimento acústico em todas elas, vamos conseguir receber mais alunos. A capacidade deve passar de 800 para 1.000 estudantes, o que é uma conquista para o ensino da música, já que a Eman é uma das escolas mais procuradas no estado”, ressaltou o professor e maestro Luiz Carlos Durier, que acompanha as obras.

Sala de Concertos - A sala Cine-teatro Banguê vai virar uma sala de concertos. A reivindicação da Orquestra Sinfônica da Paraíba (OSPB) está sendo atendida com a criação de um ambiente voltado para a música clássica, com rigorosas especificações técnicas cumpridas em toda a estrutura, desde as salas de ensaio, ao palco. O revestimento de piso e parede será substituído por materiais que atendam à necessidade acústica da atividade artística. As paredes estão recebendo tratamento acústico e térmico.

O palco será ampliado para abrigar todos os componentes da Orquestra e ao fundo contará com um espaço para a apresentação de corais.

A capacidade de lugares passará para 570 poltronas novas e reclináveis. Dessas, seis cadeiras serão especiais para obesos. Ainda serão reservados seis espaços para cadeirantes. Os camarotes serão contemplados com dois lavabos.

O bloco composto pela entrada principal e salas de projeção, que antes pertencia ao complexo de audiovisual da Funesc, foi demolido devido às dimensões inapropriadas e aos desgastes detectados, e também passa a pertencer à OSPB. Serão construídos a bilheteria, recepção, secretaria, diretoria, arquivo musical, sala do maestro, copa e quatro baterias de banheiros. O complexo ainda contará com ambientes para ensaio da orquestra e pequenas apresentações, e salas para cada equipamento ligado à OSPB.