João Pessoa
Feed de Notícias

Reeducandos recebem certificados de curso profissionalizante em Mangabeira

quinta-feira, 12 de março de 2015 - 18:58 - Fotos: 

Um futuro com uma vida produtiva e digna deixou de ser sonho para 26 detentos do Presídio de Segurança Máxima Geraldo Beltrão, no bairro de Mangabeira, em João Pessoa. Eles concluíram o curso de Aplicador de Revestimento Cerâmico, promovido pelo Governo do Estado, por meio da Gerência de Ressocialização da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

Uma solenidade na tarde desta quinta-feira (12), realizada na unidade, marcou a entrega dos certificados aos detentos e contou com a presença de várias autoridades do Sistema Prisional, Educacional e da Justiça. Com um total de 180h/aula, no período de quatro meses, os detentos puderam aprender na teoria e na prática todo o conteúdo programático do curso, que incluiu a aplicação de normas de segurança, utilização de equipamentos de proteção individual, quantificação de materiais necessários para a execução dos serviços, utilização de ferramentas adequadas, regulação de custos, operação de maquinários, entre outros.

O secretário de Administração Penitenciária, Wagner Dorta,  ressaltou  importância da qualificação e da profissionalização adquiridas pelos apenados com olho no mercado de trabalho. “A pena tem a função de retribuir aquilo que o detento cometeu lá fora, mas a ressocialização tem a função primordial de trazê-lo de volta a vida em sociedade. Sabemos da importância de uma mão-de-obra qualificada para o setor de construção civil. Se antes eles iriam sair daqui sem nenhuma expectativa, agora eles vão sair daqui com uma profissão. Por isso, este trabalho não pode parar”, destacou.

O mestre de cerimônia e coordenador do Núcleo de Trabalho da Gerência de Ressocialização da Seap, Marconi Amorim, anunciou as novidades para 2015: “Vamos cumprir todas as metas e dobrar o número de detentos qualificados para inseri-los no mercado. Tivemos uma procura muito grande e já conseguimos com o Governo Federal mais 780 vagas disponíveis para novos cursos ainda este ano”.

O diretor do presídio, João Sitônio, parabenizou os alunos pelo empenho e considerou todos vencedores pelo desafio “de terem chegado ao fim com a absoluta maioria da sala e a expectativa de inserção no mercado e a volta digna para a família e sociedade com respeito e reconhecimento”. Durante as aulas práticas do curso, os detentos puderam aplicar revestimento cerâmico nos corredores e refeitório do presídio como atividade.

Voltar a atuar no que sabe e gosta de fazer consiste no sonho do detento Cristiano da Silva. Após 21 anos preso e prestes a ganhar liberdade, ele lembrou da época que trabalhava como ajudante de pedreiro ao lado dos tios. “Ninguém tinha paciência de me ensinar direito as coisas. Fazia porque eu era muito observador, mas acabei indo para outros caminhos. Aqui dentro ganhei uma profissão e aprendi a ler e escrever. Agora posso ser visto de igual para igual com aqueles que estão lá fora e vou lutar pelo meu espaço”, revelou.

Também estiveram presentes o orientador pedagógico Leomar Soares; a gerente de Ressocialização da Seap, Ziza Maia; o secretário executivo da Seap, Agamenon Vieira; o coordenador do Pronatec em Bayeux, Adriano Lins; o diretor do Senai em Bayeux, Janildes Sales; Luzauri Bezerra, representando a juíza de Execuções Penais, bem como representantes da educação e agentes penitenciários.