João Pessoa
Feed de Notícias

Reeducandos participam do 21º Salão de Artesanato da Paraíba

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015 - 15:19 - Fotos: 

A Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap), por intermédio da Gerência Executiva de Ressocialização, no Eixo Cultura e Esporte, participou do 21º Salão de Artesanato da Paraíba na Praia do Cabo Branco em João Pessoa, de 19 de dezembro a 25 de janeiro. No total, 18 artesãos e artesãs, que também são reeducandos, de sete unidades prisionais do Estado, participaram enviando peças para o evento.

A gerente de Ressocialização, Ziza Maia, enfatizou que este trabalho de artesanato é fundamental na política de ressocialização do Governo do Estado, pois além de reduzir a pena dos reeducandos, que participam de algum dos programas, também tornam a vida no cárcere mais digna e menos ociosa, capacitando-os para quando saírem das unidades prisionais. “Este trabalho de artesanato é fundamental para todos os reeducandos que desejam mudar de vida ainda dentro do Sistema Prisional, porque eles são seres humanos, antes de tudo, e grandes artistas que querem mudar suas histórias de vida através destas peças”, comentou.

O coordenador do Eixo Cultura da Gerência Executiva de Ressocialização, Armistron Gomes, disse que as vendas tiveram um saldo positivo. “Esperamos que as vendas possam mais uma vez se superar no próximo salão,  nos meses de junho e julho, em Campina Grande. Mal saímos de um evento e já estamos nos planejando para o próximo, pois a ressocialização é o que nos motiva a acreditar nesse trabalho de dar dignidade e esperança a quem está recluso, pois por meio do trabalho feito dentro das unidades, incentivando a criatividade e o trabalho manual, há a perspectiva de que quando saiam os reeducandos possam ter uma vida mais plena e digna”.

Participaram do evento enviando materiais produzidos pelos reeducandos as seguintes unidades: o Presídio Feminino Maria Júlia Maranhão, em João Pessoa – com bonecas de pano; a Cadeia Pública de Esperança – com brinquedos feitos de palitos de picolé, carrinhos, sanfonas, rodas-gigantes, baterias de música; o Presídio Feminino de Patos – peça de renda renascença para copos; o Presídio de Catolé do Rocha – peças com madeira do tipo mdf, entre troféus de vaquejada, esculturas e porta-retratos; a Cadeia Pública de Mamanguape – artesanato diversificado: puffs feitos com material recliclável, tapetes de lã, casinhas de madeira; o Presídio de Santa Rita – esculturas com sabão como matéria prima; e a Penitenciária de Segurança Máxima Geraldo Beltrão em João Pessoa, com duas telas.