João Pessoa
Feed de Notícias

Reeducandas participam de oficina de teatro de alunos da UFPB

quarta-feira, 24 de julho de 2013 - 18:19 - Fotos:  Vanivaldo Ferreira / Secom-PB

As reeducandas da Penitenciária de Recuperação Feminina Julia Maranhão participaram, na tarde desta quarta-feira (24), de uma oficina de teatro, que faz parte do projeto de extensão ‘Ressocialização Feminina – Direitos Humanos e Cidadania’, desenvolvido por alunos da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) desde o mês de março deste ano, com encerramento previsto para o mês de dezembro, numa parceria entre a instituição de ensino e a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). O evento contou com a participação de 140 reeducandas.

O projeto, que conta com estudantes das disciplinas de Pedagogia, Serviço Social, Direito, Medicina, Enfermagem, Jornalismo, Psicologia e Economia, tem o objetivo de desenvolver a prática da ressocialização nos eixos de Educação, Saúde e Assistência Jurídica e é coordenado pelo professor do Curso de Direito da UFPB, Gustavo Barbosa de Mesquita Batista, que é integrante da Comissão de Direitos Humanos daquela instituição pública de ensino superior.

Para o secretário de Administração Penitenciária, Wallber Virgolino, esta é mais uma parceria que está dando certo entre a Seap e a UFPB. “É muito gratificante ver estes estudantes universitários, que serão os profissionais de um futuro bem breve, interagindo com as pessoas que estão dentro do sistema prisional, muitas vezes até porque não tiveram o direito à educação como eles tiveram, e estamos convictos que este é um grande desafio de toda a sociedade, contribuir para que tenhamos a cada dia e a cada ação como esta, um sistema prisional mais humanizado e, consequentemente, preparando de forma mais eficaz as reeducandas para o retorno à sociedade”, afirmou.

Ressocializando com arte – A oficina de teatro, ministrado por Mauricio Barbosa, que é aluno do Curso de Teatro da UFPB, busca trabalhar a produção textual e valorização da educação, onde as participantes terão a oportunidade de produzir uma carta de forma coletiva, retratando a integração entre as artes cênicas, a educação e a comunicação.

A esquete apresentada pelo ator Mauricio Barbosa mostra o diálogo e a relação conflituosa entre dois personagens, Arlequim e Pantaleão, que são empregado e patrão, respectivamente. Por meio da peça, os alunos tentam sensibilizar as participantes a preencherem um formulário que será entregue pelo grupo, com informações básicas sobre as reeducandas.

Para a estudante de pedagogia, Elizabeth Regina, o preenchimento deste formulário é uma parte importante do processo, uma vez que “com estas informações básicas a respeito de cada uma delas e a consequente individualização da realidade das mesmas, poderemos traçar estratégias de atuação para alcançar um melhor resultado no final do programa”.

Edyvanne Freitas, que é aluna de Psicologia, revelou que o objetivo é mostrar o drama entre uma relação amorosa e uma relação de patrão e empregado, “além de que a produção da carta remete a um canal de comunicação que faz parte da realidade das participantes e traz a simbologia da importância da educação e do exercício da escrita no cotidiano das mesmas”.