Fale Conosco

17 de setembro de 2012

Rede hoteleira da Paraíba registra 63,06% de ocupação em agosto



A taxa de ocupação hoteleira na Paraíba no mês de agosto registrou a média histórica de 63,06%, uma alta de 21,22% acima da média dos últimos 21 anos, que era de 52,02% no mesmo período. Os índices foram divulgados nesta segunda-feira (17) pelo Setor de Estatística da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur), segundo o qual no acumulado de janeiro a agosto deste ano, o índice de ocupação foi de 67,82%, o que representa um aumento de 3,27% sobre igual período de 2011.

De acordo com a análise da PBTur, com esse ritmo de crescimento, a expectativa é fechar o ano de 2012 com um fluxo global estimado em mais de um milhão de turistas em João Pessoa e de 1.510.000 em toda a Paraíba. “Em parte, esses números são respaldados pelo aumento do movimento de passageiros dos aeroportos de João Pessoa e Campina Grande, que apesar do decréscimo de 3,84% no número de pousos, o número de embarques e desembarques aumentou em 11,26%”, disse o técnico do Setor de Estatística da PBTur, Antonio Cordeiro Antas.

Média – Ao longo dos últimos 10 anos, o fluxo de turistas na capital paraibana cresceu a uma taxa média de 4,94% ao ano. No entanto, segundo Antônio Cordeiro, no acumulado de janeiro a agosto houve um crescimento de 7,12%. “Para o mês de agosto, o crescimento foi de 4,91%. Para a estimativa do Estado, essas taxas de crescimento foram de 7,11% (João Pessoa) e 4,92% (Paraíba), respectivamente”, afirmou o executivo.

Permanência – Com relação à residência permanente dos hóspedes na Paraíba, segundo dados do Setor de Estatística, houve um aumento em todas as regiões, em detrimento da diminuição da região Nordeste. “Ao meu entender, isso se caracteriza em um dado de máxima importância, uma vez que mostra que a Paraíba, particularmente João Pessoa, está sendo enxergada além-fronteira nordestina”, apontou Antônio Cordeiro.

Os dados indicam que os Estados que mais emitiram turistas para João Pessoa foram São Paulo (22,05%) e Distrito Federal com 9,08%. No setor internacional, os principais mercados foram os Estados Unidos (15,72%); Portugal (15,06%); Itália (12,38%) e Argentina (11,27%). Desse total, 49,69% usaram o automóvel como meio de transporte, enquanto 44,96% chegaram de avião.

As principais profissões dos hóspedes são de profissionais liberais (28,58%); comerciantes (13,28%); empresários e funcionários públicos, com cerca de 8,0%. O sexo dominante é o masculino, com 58%; a faixa etária com maior incidência está entre 36 e 50 anos, com 29,65%. A permanência média no hotel é de 2,86 dias por pessoa. O principal motivo da viagem é o turismo de lazer, com 60,80%, seguido de negócios, com 25,55%.

“Em um ano em que se espera um crescimento entre 1,7% a 2% no Produto Interno Bruto do País, termos um crescimento estimado de 7% na receita turística é estimulante e encorajador e mostra que estamos no rumo certo para o desenvolvimento do turismo na Paraíba”, analisou o executivo.