Fale Conosco

11 de junho de 2012

Rede de atendimento disponibiliza mais de 20 serviços para mulheres vítimas de violência



A Paraíba conta hoje com uma rede de profissionais das mais variadas áreas que trabalham com um objetivo em comum: oferecer atendimento às mulheres vítimas de violência em todo o Estado. Os serviços vão desde o suporte especializado nas unidades de saúde públicas até o acolhimento, proteção, acompanhamento jurídico e incentivo à autonomia financeira.

Com esses objetivos, a abertura da Casa Abrigo, inaugurada há 6 meses pelo Governo do Estado, representou um avanço no apoio às mulheres em situação de risco. O equipamento, localizado em João Pessoa, oferece atendimento social, jurídico, psicológico e tem segurança especial da Polícia Militar. Segundo a coordenadora administrativa da Casa Abrigo, Sueli Montenegro, o trabalho de enfrentamento à violência apresenta resultados, mas ainda esbarra em muitos desafios.

“Neste primeiro semestre de funcionamento já tivemos avanços nos casos que atendemos. A Casa é fundamental neste processo e cada vez mais procurada, especialmente pelas mulheres que moram no interior. Mas para que possamos agir é preciso que a mulher denuncie e registre boletim de ocorrência. De acordo com nosso levantamento, as mulheres convivem com o ciclo de violência por pelo menos 10 anos. O medo, muitas vezes, impede a denúncia e faz com que o agressor continue solto e impune”, destaca.

Para a secretária da Mulher e da Diversidade Humana, Iraê Lucena, esse enfrentamento requer comprometimento e envolvimento de todos.”Temos que avançar na interiorização da Rede de Atendimento para a mulher vítima de violência. Precisamos da adesão dos municípios no compromisso de desenvolver políticas em prol das mulheres. E nesse processo, a Casa Abrigo sem dúvida foi uma conquista primordial para o fortalecimento das nossas ações de enfrentamento ao avanço da violência”, avalia a secretária.

Na Paraíba, a Rede de Atendimento às Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar oferece mais de 20 tipos de serviços, entre eles o programa de atenção às Vítimas de Violência Sexual com atendimento especial em hospitais e maternidades; Centros de Referência de Atendimento à Mulher; Rede Estadual de Atendimento às Mulheres, Crianças e Adolescentes Vítimas de violência; Delegacias da Mulher, Núcleo de Atendimento na Defensoria Pública; Promotoria da Mulher no Ministério Público; Juizado Especial de atendimento às Mulheres em João Pessoa, além do Conselho Estadual dos Direitos das Mulheres e dos Conselhos Municipais.

A rede de enfrentamento à violência contra a mulher ainda conta com o apoio dos Centros de Referência Especializada na Assistência Social (Creas); Centros de Referências de Assistência Social (Cras) e Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop). Para estimular a independência econômica foi criada a linha de crédito Empreender-Mulher PB, que prioriza mulheres em situação de violência e vulnerabilidade atendidas pela Rede.

O fortalecimento e articulação desse trabalho é prioridade porque a violência contra a mulher é hoje um dos maiores desafios enfrentados pela sociedade, não só na Paraíba, mas em todo o país. Nesse contexto, a Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana (SEMDH) é responsável pela articulação da Rede de Atendimento, além da promoção e execução de políticas públicas em prol das mulheres em situação de risco.

Com foco no enfrentamento à violência contra a mulher, serão executados nos próximos meses projetos conveniados a partir de um termo de cooperação assinado entre o Governo Federal (Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República) e o Governo do Estado (SEMDH). As ações pretendem capacitar os profissionais que atuam na defesa da mulher através do fortalecimento da ação conjunta e da promoção de ações educativas e culturais.