Fale Conosco

29 de julho de 2015

Quintas Dialógicas discute cobertura cultural nos veículos de comunicação



Com o debate “Jornalismo cultural e as artes visuais”, o projeto Quintas Dialógicas, lançado em julho pela Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), realiza a segunda edição nesta quinta-feira (30). O encontro desta semana será em João Pessoa, no Auditório 1 do Espaço Cultural José Lins do Rego, às 19h. A discussão sobre o fazer jornalismo cultural no Nordeste nos veículos paraibanos e nordestinos, bem como o papel do colunista especializado em segmentos culturais, será conduzida pelo artista plástico Dyógenes Chaves e os jornalistas William Costa e Walter Galvão. Também no encontro será lançada a revista Segunda Pessoa “Edição especial – Encontro da Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA), em Recife, Pernambuco”.

As Quintas Dialógicas vêm como uma iniciativa de promover um debate franco e aberto entre a sociedade, artistas e acadêmicos, trazendo consigo a ideia de multidisciplinaridade, trabalhando diversos temas que possam se relacionar com o conceito de cultura, no âmbito da sociológica, filosófica, midiática, computacional etc. O projeto promovido pelo Governo do Estado, através da Fundação Espaço Cultural da Paraíba, busca fomentar a formação intelectual e artística dos participantes.

Debate: Jornalismo cultural e as artes visuais – A diversidade e riqueza da produção artístico-cultural do Nordeste sempre têm inspirado a realização de muitos eventos com a participação de artistas, intelectuais e profissionais ligados a estas manifestações da cultura. No entanto, a imprensa, na maioria das vezes, tem se limitado apenas a dar informações gerais de serviço desses eventos/artistas/produção. O debate propõe analisar o papel do jornalista especializado em cultura e o peso de sua influência, hoje, na opinião do público que consume tal produção.

Debatedores:

Dyógenes Chaves (Araçagi-PB, 1959). Artista plástico, designer gráfico, curador independente e crítico de arte (ABCA/AICA). Seus estudos de iniciação às artes plásticas foram na Coex/UFPB (1974-75) e Funesc (1984-85). Bolsista do Ministério da Cultura da França/ AFAA e artista residente na École Supérieure dês Beaux Arts Luminy (Marselha-França, 1997-98). Membro de curadorias na Aliança Francesa João Pessoa e Usina Cultural Energisa. Curador das Bienais de Gravura e de Desenho (Fenart-Festival Nacional de Arte, João Pessoa) e de mostras no Centro Cultural BNB (Sousa-PB e Fortaleza-CE). É membro e representante da Região Nordeste no Colegiado Setorial de Artes Visuais/ MinC/ Funarte.

William Costa (Campina Grande-PB, 1960). Jornalista, escritor e crítico de arte. Graduação em Comunicação Social (UFPB). Cursos extra-acadêmicos de Filosofia Clássica e Mitologia. Jornalista há 22 anos, com experiência na área de cultura, assessoria de imprensa, edição de livros, desenvolvimento de projetos e coordenação de setores de Literatura. Trabalhou nas rádios Tabajara (redator-noticiarista), Correio da Paraíba (redator) e Tambaú (editor de jornalismo); nos jornais O Norte (repórter e editor de Cultura), Correio da Paraíba (repórter de Política e de Cultura), O Momento (repórter de Cultura), A União (editor de Cultura, editor de cadernos de Literatura e Arte, chefe de Redação, editor-adjunto e editor geral); e nas revistas: Bastidores (repórter e redator), Fabulação (colaborador), A&D Arquitetura (colaborador).

Atou como assessor de imprensa na Secom/PMJP, Zarinha Centro de Cultura, Subsecretaria de Cultura da Paraíba, Fundação Casa de José Américo e Funesc, onde também foi coordenador de Literatura e Memória Cultural. É membro da Sociedade de Cultura Musical da Paraíba, da API, do Colégio Eleitoral do Prêmio Multicultural Estadão, do Júri do Prêmio Portugal Telecom de Literatura e do Conselho Editorial da revista Segunda Pessoa. Organiza e participa de seminários, workshops, palestras, mesas-redondas e oficinas de Literatura. Editor do Correio das Artes (Jornal A União) e jornalista responsável pela revista Segunda Pessoa.

Walter Galvão (João Pessoa-PB). Jornalista, músico, crítico, radialista, e publicitário há mais de 30 anos. Dirigiu as redações dos principais jornais de João Pessoa e a programação das rádios Tabajara e Sanhauá. Gerenciou a programação da TV Correio e foi diretor geral da TV Cidade João Pessoa. Ex-integrante da equipe de marketing do Manaíra Shopping. Implantou o WebSite do jornal Correio da Paraíba. É autor de livros de poemas, ensaios e crônicas. Entre os cargos públicos que exerceu estão o de secretário de Educação de João Pessoa, ouvidor da Cidade de João Pessoa, diretor da Funjope, assessor da Secretaria de Planejamento do Estado, assessor parlamentar na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa e assessor de imprensa na UFPB. Atualmente é editor geral do Jornal A União.

Revista – A Segunda Pessoa – A revista Segunda Pessoa (ISSN 2237-8081), editada por Dyógenes Chaves,  foi contemplada no Edital Procultura 2010, Categoria B – Periódicos e Revistas sobre Artes Visuais (MinC/ Funarte), junto com mais seis propostas de todo o Brasil (ver o link: http://www.funarte.gov.br/edital/ premios-procultura/). Essa premiação garante a publicação (e distribuição nacional) de oito edições (trimestral, 10.000 exemplares), entre 2013 e 2015. A versão digital da revista também estará disponível na internet (segundapessoa.com.br).

De acordo com o que foi aprovado pelo Edital, a Segunda Pessoa “tem objetivos de publicar artigos, ensaios e imagens de autores brasileiros, com maior ênfase para análise e divulgação da produção contemporânea de artes visuais no Nordeste do país. (…) Será distribuída gratuitamente em instituições educacionais e culturais e todo seu conteúdo será disponibilizado na internet.” A proposta tem como ideia principal incentivar a participação de artistas e críticos de arte da região por meio de colaborações (textos e imagens); discutir, analisar e debater a produção artístico-cultural do Nordeste e também do país; oferecer espaço para críticos de arte, pesquisadores e ensaístas da área; divulgar a produção contemporânea local em outras cidades do país; concorrer para a formação de público na área artístico-cultural; divulgar e promover o surgimento de novos valores nas artes e no jornalismo cultural; contribuir para o enriquecimento cultural da comunidade artística regional.