Fale Conosco

9 de dezembro de 2015

Quilombola da Paraíba obtém título de Mestre pela UFPB



Nascida e criada no quilombo do Talhado, em Santa Luzia, Maria Janaina Silva dos Santos acaba de concluir o mestrado em Serviço Social pela Universidade Federal da Paraíba. A dissertação com o título Proteção Social e Território Quilombola na Paraíba – História de Luta e Resistência no Talhadoestudou o acesso das comunidades quilombolas às políticas sociais.

O objeto de estudo veio de uma inquietação. “Eu me perguntei porque só as pessoas de fora falavam sobre nós e não nós mesmas”, diz Janaína. Segundo a jovem assistente social, essa é a primeira vez que alguém da comunidade escreve sobre a própria realidade. A dissertação foi orientada pela professora e doutora Marinalva de Sousa Conserva, do Programa de Pós Graduação em Serviço Social da UFPB.

Originária de uma tradicional família de mulheres louceiras, a inspiração para trilhar a vida acadêmica surgiu quando jovens universitários visitaram o Talhado para fazer uma pesquisa de campo. Sua maior incentivadora foi a tia e líder comunitária Maria do Céu, já falecida.  Foi também por influência da tia que Maria Janaina ingressou no movimento quilombola, ainda na adolescência.

O quilombo do Talhado está localizado na zona rural da cidade de Santa Luzia, no Sertão da Paraíba. Ficou conhecido através do documentário Aruanda, dirigido pelo cineasta Linduarte Noronha. O filme retrata o cotidiano da população quilombola e foi considerado o marco do cinema novo.

Janaina Santos ocupa o cargo de gerente operacional de apoio às políticas públicas para comunidades tradicionais na Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana (SEMDH) que tem o papel de incrementar políticas públicas para comunidades quilombolas no âmbito do governo estado da Paraíba.

 

Para a Secretaria da Mulher e Diversidade Humana, Gilberta Soares, “é gratificante apoiar uma jovem quilombola na sua formação acadêmica que visa a produção de conhecimento sobre sua comunidade tradicional. Essa e um exemplo de ação afirmativa em prol da equidade racial”.