Fale Conosco

5 de maio de 2009

Prorrogado o prazo de vacinação contra a aftosa em Patos e Sousa



Por conta do estado de emergência em que se encontram, os municípios de Patos e Sousa terão a primeira etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa prorrogada até o dia 15 de maio próximo. A decisão da Superintendência Federal da Agricultura na Paraíba atende solicitação da Secretaria Estadual do Desenvolvimento e da Pesca. O comunicado foi feito pelo secretário do Desenvolvimento e da Pesca, Ruy Bezerra Cavalcanti.

Patos e Sousa decretaram estado de emergência, homologado pelo governador José Maranhão, por conta dos estragos das chuvas caídas em toda região do Sertão paraibano, que atingiram a zona rural desses municípios.

A vacinação em todo o Estado aconteceu no período de 1º a 30 de abril. O produtor tem 10 dias, após a vacinação, para efetuar a comprovação junto aos escritórios da Defesa Agropecuária ou nos escritórios da Emater espalhados pelo interior.

De acordo com a portaria, a prorrogação vale apenas para a vacinação. Quanto à emissão da GTA (Guia de Trânsito Animal), destinada para qualquer finalidade, somente será permitida mediante a comprovação da vacinação efetuada na primeira etapa da campanha de 2009.

O secretário da Sedap, Ruy Bezerra Cavalcanti Júnior, frisou a necessidade da prorrogação do prazo para os produtores das regiões de Patos e Sousa vacinarem seus rebanhos, por conta das fortes chuvas que castigaram aqueles municípios.
Ruy Bezerra alerta aos produtores que após este prazo não haverá uma nova prorrogação. “Por isso, conclamamos a toda a classe produtora que fique atenta aos prazos. Não podemos deixar que o atraso no cumprimento de nossos deveres traga problemas para nossa pecuária”, observou.

Foi investido quase R$ 1 milhão na execução da campanha, com a participação de mais de 300 funcionários da Emater, Emepa, Interpa, do Sistema de Vigilância Sanitária. São oitos postos de fiscalização situados nos limites do Estado, como também nas 27 Unidades Locais de Sanidade Animal e Vigilância.(ULSAVs). A campanha, contou ainda, com o apoio do Governo Federal, que dotou as ULSAVs de veículos para fiscalização nos imóveis rurais.

A segunda etapa da campanha de combate à febre aftosa acontecerá no mês de outubro, a exemplo dos anos anteriores. Contudo, o Governo do Estado está pleiteando a auditoria do Ministério da Agricultura para o mês de setembro, para tentar obter a concessão do certificado de Zona Livre de Febre Aftosa.