João Pessoa
Feed de Notícias

Projetos do Cooperar ganham reforço técnico-científico da UFPB de Bananeiras

quarta-feira, 30 de outubro de 2013 - 16:37 - Fotos: 

Os projetos de inclusão produtiva e social no Brejo Paraibano desenvolvidos pelo Projeto Cooperar contarão com o apoio da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), campus de Bananeiras. Para tanto, na sexta-feira (25), o Cooperar participou do I Workshop sobre a Relação entre a Universidade e a Sociedade, que contou com a participação de lideranças de 10 municípios da área de atuação daquela instituição de ensino.

Na condição de convidado e parceiro, o Cooperar também participou das discussões para a elaboração do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2013-2017) da UFPB, que prevê, dentre outros objetivos, o desenvolvimento sustentável da região, e consequentemente, da Paraíba.

Para o gestor do Projeto Cooperar, Roberto Vital, o encontro foi um momento oportuno do Governo do Estado, por meio do Cooperar, manifestar o interesse e desejo estratégico de cooperação dos órgãos de ensino, pesquisa e extensão com o tipo de fomento que a atual gestão governamental passou a desenvolver junto às associações e cooperativas que integram a agricultura familiar.

Estamos proporcionando a mudança na qualidade de vida das pessoas que viviam no campo em estado de letargia, com a ausência de políticas públicas e sem perspectiva de crescimento. Um público com várias interfaces como os assentados da reforma agrária, quilombolas e indígenas, sem perder as perspectivas de fortalecimento  de gênero e valorização das mulheres que comandam hoje 1/3 dos subprojetos fomentados pelo Cooperar e seus parceiros”, lembrou Roberto Vital.

No encontro, o gestor do Cooperar aproveitou para fazer um balanço do órgão que nestes dois anos e nove meses implantou ações efetivas em 470 comunidades, beneficiando diretamente mais de 26 mil famílias com a liberação de mais de R$ 42 milhões. “E, entre todos os grupamentos sociais que fazem o contexto da pobreza rural, os assentados da reforma agrária foram os prioritários”, destacou Roberto.

Ele adiantou que o público da reforma agrária foi assistido pelo governo como um todo em 94 assentamentos, dos quais 68 foram atendidos mediante subprojetos do Cooperar, envolvendo mais de R$ 7 milhões, ou seja, mais de 15% dos recursos totais, sendo aplicados em tratores e equipamentos, irrigação para cultivos agroecológicos, cisternas, abastecimentos d’água, entre outros, para minimizar a situação de pobreza destas pessoas, dando-lhes tratamento cidadão a fim de projetarem um futuro de esperança para sua descendência.

Ele disse ainda que, pela primeira vez, o Governo da Paraíba exerce concretamente prioridade histórica com os quilombolas, fazendo um Estudo Censitário em 38 comunidades, onde paralelamente vem aplicando R$ 1milhão em demandas específicas beneficiando nove comunidades.

Tecnologia à mostra – Paralelo ao encontro, aconteceu a Expotec, com a exposição de todo o acervo de tecnologias práticas que a universidade disponibiliza para dar suporte às centenas de subprojetos produtivos, sociais e infraestruturais que o Cooperar tem apoiado no Brejo e Curimataú paraibanos.