Fale Conosco

1 de setembro de 2009

Projetos de assentamento na PB com mais transparência e acesso on-line



Garantir maior transparência aos projetos para assentamento de famílias, através do Programa Nacional de Crédito Fundiário, será uma das vantagens dos sistemas que serão operados pelos prestadores de assistência técnica, segundo revelou o delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário na Paraíba, Marenilson Batista, na abertura da Oficina para Operacionalização da Linha Combate à Pobreza Rural e dos novos sistemas, que acontece até esta quarta-feira (2), no Verdegreen Hotel, em João Pessoa, numa promoção do Instituto de Terras e Planejamento Agrícola da Paraiba (Interpa).

O presidente do Interpa, Álvaro Dantas, que conduziu os trabalhos de abertura da oficina de nivelamento, destacou a importância do evento em capacitar os técnicos do órgão e prestadores de assistência técnica, que a partir de agora terão novos instrumentos para facilitar o acompanhamento dos  projetos de assentamento, atendendo à meta do Instituto em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário, que é beneficiar com a aquisição de terras 1.500 famílias até o final de 2010.
 
Contribuição – Já o prestador de assistência técnica, Robson Silva, que há quatro anos lida com a atividade, destacou a contribuição dos novos sistemas on-line para agilizar a medição e o parcelamento das propriedades a serem contempladas pelo Programa Nacional de Crédito Fundiário, executado na Paraíba pelo Interpa e MDA. “Teremos um banco de dados, onde será feito um melhor acompanhamento de cada imóvel”, lembrou.

Segundo Robson, as maiores dificuldades em medir e parcelar as terras, agora serão resolvidas, principalmente aquelas que eram financiadas pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Financiamento – Na oficina promovida pelo Interpa, também foram discutidas as novidades da linha de financiamento Combate à Pobreza Rural do PNCF, como a elaboração dos projetos para a compra das terras que deverá ser feita de forma individualizada.

Com esta modalidade de financiamento é possível atender às camadas mais necessitadas da população rural, contemplando trabalhadores rurais sem terra, pequenos produtores rurais com acesso precário à terra e proprietários de minifúndios (imóveis cuja área não alcance a dimensão da propriedade familiar).

Participaram da abertura da Oficina para Operacionalização da Linha Combate a Pobreza Rural e dos Sistemas de Monitoramento de Projetos (Simon) e de Rede de Apoio (Srede), o secretário-executivo da Agricultura, Ronaldo Torres, o presidente do Interpa, Álvaro Dantas, o diretor técnico do Interpa, Stênio Pires, o delegado do MDA-PB, Marenilson Batista, o coordenador estadual do PNCF-PB, Alberto Sérgio Onofre, além de dezenas de técnicos da Emater e de empresas privadas credenciadas pelo Interpa.

Da Assessoria de Imprensa  do Interpa