João Pessoa
Feed de Notícias

Projeto Interatos de maio apresenta espetáculos de teatro, dança e circo

quinta-feira, 28 de abril de 2016 - 10:18 - Fotos:  Divulgação

A Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) realiza, de 6 a 8 de maio, mais uma edição do projeto Interatos – mostra e formação permanente de teatro, dança e circo. A ação do mês recebe espetáculos de grupos paraibanos e convidados pernambucanos que contemplam as três linguagens artísticas. Todas as apresentações do projeto acontecem no Teatro Paulo Pontes do Espaço Cultural José Lins do Rego, na Capital. Os ingressos para cada espetáculo do projeto custam R$ 10 (inteiro) e R$ 5 (meia entrada).

A abertura será com o experimento Frevo Motor, apresentado por Hayala César (PE/PB), às 20h. Em seguida se apresentam Memórias Sensíveis através do Frevo: Na Malandragem do Feminino e Frevo Embolado, com Rebeca Gondim e Júnior Viégas, de Pernambuco.

Ainda na área de dança, a programação inclui a oficina gratuita Criação e Frevo, ministrada por Rebeca Gondim e Júnior Viégas no sábado (7), das 9h às 11h, no auditório 6, mezanino 2 (acesso pela rampa 1), do Espaço Cultural José Lins do Rego. As inscrições podem ser feitas na Diretoria de Desenvolvimento Artístico e Cultural (DDAC) da Funesc, das 9h às 12h e das 13h às 16h30. A atividade tem apoio do Paço do Frevo (PE) e é financiado pelo Funcultura.

A programação de teatro do Interatos traz o espetáculo De João Para João, do grupo Sagarana Produções Teatrais. A peça tem texto, direção e interpretação de Tarcísio Pereira, e coloca João Pessoa e João Dantas frente a frente. A apresentação acontece no sábado (7), às 20h.

No segmento de circo, a atração é o espetáculo Caminhão de Palhaços, do grupo Los Iranzi. A montagem se inspira na tradição do circo no Brasil. Eles sobem ao palco no domingo (8), a partir das 17h.

Sobre o projeto – Interatos é uma iniciativa da Funesc desenvolvida por meio das coordenações das respectivas áreas envolvidas no projeto. A primeira edição aconteceu em setembro de 2015. A proposta visa contemplar mensalmente estes três segmentos das artes cênicas alternando o palco entre atrações locais, nacionais ou internacionais.

Além de dar oportunidade de acesso a artistas e ao público em geral ao que está sendo produzindo, a realização do Projeto permite troca de experiências entre os setores da dança, do circo e do teatro, criando um ambiente de reflexão. Outro ponto que merece destaque é a visibilidade dada à produção desses três setores a arte no Estado.

Sinopses 

Na Malandragem do Feminino (dança) – Aponta para a necessidade de investigar o corpo da mulher, incluindo os aspectos subjetivos, e suas relações sociais e comunitárias. O despertar dessa temática aconteceu a partir de duas categorias: O Malandro e A mulher pernambucana criadas por Nascimento do Passo que revelam as fronteiras ainda pouco discutidas na dança do frevo entre o corpo que dança e o corpo que executa passos. Experimentar a disponibilidade do corpo para contar histórias e deixar-se revelar são caminhos em construção dessa pesquisa coreográfica de Rebeca Gondim. 

Frevo Embolado (dança) – Experiência estética que brinca com o universo infantil, das brincadeiras populares, do lúdico. Pode provocar reflexões através das histórias e experiências pessoais de um professor que ao ser negado como jogador de futebol em um teste no Recife encontra na Escola de Frevo de Pernambuco apoio, força e superação, revelando-se um grande professor e passista.

Diante das escolhas, esse jovem retoma através desse solo relações e conexões que podem revelar no corpo e na dança as dificuldades de uma época e localidade, assim como visitar grandes mestres de frevo. Além de apontar para dificuldades provindas de um corpo atual em sentir, valorizar e mergulhar no frevo como manifestação da rua. Relaciona o frevo com a capoeira, as brincadeiras da rua, através da disponibilidade corporal para contar e recriar sua própria natureza. Busca investigar no corpo conexões do frevo com as memórias locais e apresentar possibilidades criativas.

Frevo-motor (dança) -  É um experimento em dança que propõe a investigação entre o fazer artístico e pedagógico da artista-docente Hayala César e o fazer artístico e pedagógico de passistas de frevo, sendo a experiência desse encontro o motor do movimento e criação. O experimento conta com colaboração e direção de Luciano Amorim.

Hayala César é graduada no curso de Licenciatura em Dança pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Atualmente, é professora de dança do município de João Pessoa. Tem direcionado o seu fazer pedagógico e artístico ao estudo e pesquisa das danças tradicionais, em especial a dança do frevo.Hayala César nasceu em Pernambuco, mas mora e trabalha em João Pessoa.

Oficina Criação e Frevo (dança) – O objetivo da oficina é abordar de forma prático-teórica a dança do frevo. Para esse encontro, o frevo e suas possibilidades diversas, incluindo passos, escolas será vivenciado na roda, como brincadeira. Serão realizadas dinâmicas com jogos corporais, incorporando a tríade artística dos contextos das performances africanas cantar-dançar-batucar. Haverá um breve diálogo sobre os conceitos: tradição e contemporaneidade, cultura popular; espetacularização. Faz parte dessa aula trazer para discussão elementos do frevo ligados ao jogo, à brincadeira, o espetáculo e suas relações entre tradição e contemporaneidade, relativizando alguns conceitos.

Também faz parte dos objetivos estimular o conhecimento corporal e a improvisação, como elementos necessários para reflexão acerca da relação corpo, dança e cultura. A ideia é proporcionar uma troca de saberes, através das memórias afetivas e marcas corporais dos alunos, criando uma atmosfera festiva e lúdica, relacionadas ao canto, a percussão corporal e a dança.

De João Para João (teatro) – A peça trata sobre o assassinato de João Pessoa e os acontecimentos políticos de 1930. Escrita e dirigida por Tarcísio Pereira, coloca em cena os personagens de João Pessoa e João Dantas durante os instantes do assassinato que aconteceu em Recife, no dia 26 de julho. O crime comoveu a sociedade da época, sendo o estopim da Revolução de 30 no Brasil.

O espetáculo coloca em cena dois atores nos papéis de vítima e assassino, interpretados por Tarcísio Pereira e Flávio Melo, já conhecidos de outros trabalhos no teatro e no cinema. O assassinato é mostrado num ambiente de notícias da época, com informações curiosas da história da Paraíba naquele período tão conturbado.A dramaturgia se baseia numa carta escrita por João Dantas, assassino de João Pessoa, dias antes de cometer o crime.

Com base na carta escrita pelo advogado e jornalista João Duarte Dantas, que assassinou o governante paraibano João Pessoa, a peça resgata um importante documento que ajuda a entender as razões do crime.

De acordo com informações da produção do espetáculo, essa carta de João Dantas, endereçada a João Pessoa, foi publicada em um jornal de Recife, já que seu autor quis torná-la pública e não tinha acesso aos meios de comunicação em seu próprio Estado.  “Pelo teor da carta, o que se tem é uma espécie de crônica de uma morte anunciada, daí o caráter dramatúrgico desse importante documento jamais explorado no teatro”, afirmou Tarcísio Pereira.

A dramaturgia se vale de um documento público, embora desconhecido, para estabelecer um discurso dialógico que questiona, refletindo não apenas as nuances históricas, mas também as paixões de duas vidas privadas.

Tarcísio Pereira ressalta que a peça faz alusões ao noticiário da época, uma forma de mostrar que, assim como ocorre nos dias atuais, as pessoas transitam entre notícias, e notícias que insuflam o ódio e destroem vidas e reputações, às vezes gerando o crime.

Grupo: Sagarana Produções Teatrais. | Texto e Direção: Tarcísio Pereira | Elenco: Tarcísio Pereira e Flávio Melo | Trilha Sonora: Eli-Eri Moura | Iluminação: João Batista Mendonça | Operação musical: Bruno Fonseca | Fotografia: Antonio David | Arte Visual: Cristovam Tadeu | Coordenação técnica: Claudevan Ribeiro. 

Caminhão de Palhaços (circo) - O Caminhão de Palhaços é uma montagem inspirada na tradição do circo brasileiro. Através do palhaço popular e de elementos circenses como a perna-de-pau, malabares, pirofagia e canções populares, traz o resgate da linguagem imortal que compõe uma brincadeira simples, pura e verdadeira. Bebendo das manifestações dos folguedos nordestinos, o espetáculo é composto com a riqueza de elementos do reizado, cavalo marinho e bumba-meu-boi. | Grupo: Los Iranzi | Palhaços: Chuminho – Junior Iranzi, Mamadeira – Viky Iranzi, Jujuba – Luana Iranzi, Espoleta – Pedro Iranzi, Coxinha – Manu Iranzi, Cocerinha – Jacson Lima | Sonoplastia: Allan Barros | Contra regra: Marcos Cândido.

 

Serviço

Projeto Interatos – Teatro, dança e circo – 6 a 8 de maio 

DANÇA

SEX -  6/MAI, 20h

Teatro Paulo Pontes

Espetáculos Memórias sensíveis através do Frevo: Na Malandragem do Feminino e Frevo Embolado, com Rebeca Gondim e Júnior Viégas; e o experimento Frevo- Motor, com Hayala César

R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada)

 

SÁB – 7/MAI

9h às 11h – Oficina Criação e Frevo / apoio Paço do frevo / financiado pelo Funcultura.

Ministrantes: Júnior Viégas e Rebeca Gondim

Local: Auditório 6, mezanino (acesso pela rampa 1)

Vagas: 40

Público-alvo: jovens e adultos

Inscrições: Diretoria de Desenvolvimento Artístico e Cultural (DDAC), Espaço Cultural José

Lins do Rego, segunda a sexta, das 9h às 12h e das 13h às 16h30 ou no local da aula

 

 

TEATRO

SÁB-7/MAI

19h, Teatro Paulo Pontes

Espetáculo De João para João

Grupo: Sagarana Produções Teatrais, direção: Tarcísio Pereira

R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada)

 

CIRCO 

DOM – 8/MAI

17h, Teatro Paulo Pontes

Espetáculo Caminhão de Palhaços

Grupo Los Iranzi

R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia entrada)

A venda de ingressos é feita na bilheteria do local das apresentações, com uma hora de antecedência.

Informações: 3211-6225 / 3211-6214