João Pessoa
Feed de Notícias

Projeto Interatos da Funesc apresenta espetáculos e oficina na edição de junho

quarta-feira, 1 de junho de 2016 - 10:48 - Fotos:  Divulgação

A Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) realiza de 3 a 5 de junho mais uma edição do projeto “Interatos – mostra e formação permanente de teatro, dança e circo”. A ação do mês recebe convidados da Paraíba, Rio Grande do Sul, além do músico francês radicado no Brasil Didier Guigue. A noite de sexta-feira (3) abre com o espetáculo de teatro “Última Estação”, montagem conjunta da Cia do Rosário e do Grupo Renascer, de Campina Grande. A apresentação acontece às 20h, no Teatro Paulo Pontes do Espaço Cultural José Lins do Rego. Os ingressos para cada espetáculo do projeto custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada).

No segmento de dança, há duas atrações programadas, começando com a Vivência e Roda de Conversa conduzida por Carla Vendramin (RS). A atividade será na sexta-feira (3), das 9h às 12h, no auditório 6 do mezanino do Espaço Cultural. A convidada falará sobre sua trajetória como artista e desenvolverá uma atividade prática.

A segunda atração de dança é o espetáculo “Boca de Forno” com a Paralelo Cia. de Dança (PB) e Didier Guigue (FR/BR). A apresentação acontece no sábado (4), às 20h, no Teatro de Arena do Espaço Cultural.

Na área de circo, o convidado é o grupo Cia. do Rosário (Campina Grande, PB), que traz o espetáculo “Concerto sem Conserto”, inédito em João Pessoa. A apresentação é no domingo (5), às 17h, no Teatro Paulo Pontes.

Sinopses

Última Estação – O espetáculo tem início com o personagem Tairon chegando a uma estação de trem a fim de pegar sua condução para chegar em casa. Casado, pai de dois filhos, com a esposa grávida do terceiro, ele faz sempre referências à sua família, demonstrando ser uma pessoa bastante apegada aos seus entes queridos. Na estação, Tairon encontra Renan, um sujeito que não lhe dá muita atenção e que a todo o momento realiza trabalhos de limpeza no ambiente.

Posteriormente, aparece Lanif, um homem ressentido que teve a família assassinada. O trem demora muito. Nesse meio tempo, Lanif e Renan conversam coisas que para o recém-chegado parecem não ter muito sentido. Eles falam de suas lembranças, chegando a revivê-las, são irônicos com Tairon, que a cada minuto vai ficando mais aflito com a demora do expresso.

No decorrer da peça, o novato encontra um antigo amigo, entretanto, este já havia morrido há algum tempo. Neste momento, descobre-se que todos estão mortos e que aquela é a última estação, um lugar de passagem pelo qual todos precisam passar. Tairon, todavia, reluta em aceitar seu destino e acaba deixado sozinho na estação enquanto os demais se retiram. O tempo do espetáculo não é cronológico, não sendo possível calcular quanto tempo da vida dos personagens se passa no transcurso do espetáculo.

Texto: Álvaro Fernandes | Direção/Cenário/Figurinos: Chico Oliveira | Preparação de elenco/sonoplastia: Regina Albuquerque | Iluminação (concepção): Napoleão Gutemberg | Maquiagem/Execução de luz: Renato Barros | Fotografias: Clarissa Santos e Mayara Silveira | Produção: Napoleão Gutemberg | Elenco: Júlio César Rolim (Tairon); Claudivan Barbosa (Renan); Napoleão Gutemberg (Lanif); Ivanneide Ouriques(Lucius); Gedeão Ferreira (Alan).

Vivência e roda de conversa (dança) – Carla Vendramin é artista docente no Curso de Licenciatura em Dança (ESEFID/UFRGS), coordenadora do projeto de extensão Diversos Corpos Dançantes e mestre em coreografia pela Midlesex University, Londres. Atua na área da performance, improvisação e estudo somático do corpo. Pesquisa relações do corpo/ambiente através da performance e com práticas como integral bambo e bodywheather. A atividade estará aberta a todos os interessados, não sendo necessário fazer inscrição.

Boca de Forno – O Coletivo Som e Osso é uma dissidência da Paralelo Cia de Dança. Formado pela iniciativa das bailarinas Joyce Barbosa e Lília Maranhão, com o músico Didier – professor de música da UFPB -, a cada apresentação o Coletivo traz um convidado de dança para “jogar” e estabelecer novas regras.

O Boca de Forno nasceu como primeiro trabalho do Coletivo em 2014, no XIV Festival de Artes de Areia/PB. Ele parte do jogo infantil homônimo, onde existe um mestre que dá as coordenadas de movimento que deve ser repetido pelos demais e quem está jogando deve compreender de quem está partindo a ordem, pois o mestre não se revela, mas sim, é revelado. Nele tenta-se inverter a ordem da música indicando o que o dançarino deve fazer, pois o músico, no caso, Didier Guigue, também dança. Como qualquer jogo, estabelece-se regras a cada apresentação para jogar com paridade. Caso um “roube”, ou seja, deturpe as regras, pagará uma “prenda”, que também é estabelecida pelos jogadores. Elenco atual é Iara Costa, Joyce Barbosa, Nídia Barbosa e Didier Guigue.

Concerto sem Conserto – Dirigido por Andréa Macêra, o espetáculo mostra a tentativa de três palhaços em apresentar um concerto musical e as peripécias que surgem durante essa apresentação. Este trabalho foi construído a partir de uma vivência que a Cia do Rosário fez com a Palhaça Mafalda Mafalda (Andréa Macêra) em 2015, e dessa experiência surgiu uma necessidade em construir um espetáculo na linguagem da Palhaçaria.

Os três músicos/palhaços Thera Baite (Emília France), Candengo (Chico Oliveira) e Lamparina (Joana Marques), ao montar o picadeiro para o “Concerto”, expõem suas fragilidades, pureza e inquietações numa lógica às avessas em contraposição à lógica dita formal.

Sobre o projeto – Interatos é uma iniciativa da Funesc desenvolvida por meio das coordenações das respectivas áreas envolvidas no projeto. Sua primeira edição aconteceu em setembro de 2015. A proposta visa contemplar mensalmente estes três segmentos das artes cênicas alternando o palco entre atrações locais, nacionais ou internacionais. Além de estabelecer uma consistente agenda de programação, dando acesso a artistas e público em geral ao que está sendo produzido em âmbito local, nacional e internacional, o projeto vem potencializar as ações de formação e troca, criando um ambiente de reflexão que pretende integrar estes setores que são ao mesmo tempo afins e distintos.

A iniciativa surge com o objetivo de dar visibilidade e dinamizar a produção de circo, dança e teatro no Estado, em suas mais diversas expressões, além de contribuir para nortear a formação de qualidade de estudantes, professores, artistas amadores e profissionais nos três segmentos. Outro ponto é a formação de público, a partir da oferta de espetáculos variados e de qualidade para as diversas faixas de idade e interesse da população. A curadoria do Projeto Interatos é realizada pelas coordenações de Dança, Circo e Teatro, levando em consideração o cadastro de artistas realizado pela Fundação.

Serviço

Projeto Interatos – Teatro, dança e circo – 3 a 5 de junho

 

Teatro

Sexta-feira (03/06), 20h – Teatro Paulo Pontes

Espetáculo Última Estação

Grupo: Cia do Rosário e Grupo Renascer (Campina Grande/PB)

R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada)*

 

Dança

Sexta-feira (03/06), 9h às 12h – Auditório 6

Vivência e Roda de Conversa com Carla Vendramin (RS)

Entrada: Gratuita

 

Sábado (04/06), 20h – Teatro de Arena

Espetáculo Boca de Forno

Grupo: Paralelo Cia. de Dança (PB) e Didier Guigue (FR/BR)

R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada)*

 

Circo

Domingo (05/06), 17h – Teatro Paulo Pontes

Espetáculo Concerto sem Conserto

Grupo: Cia. do Rosário (Campina Grande, PB)

R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada)*

 

* A venda de ingressos é feita na bilheteria do local das apresentações, começando com uma hora de antecedência.

Informações: 3211-6225 / 3211-6214​