João Pessoa
Feed de Notícias

Projeto Educanvisa é lançado em Pedras de Fogo, nesta quarta-feira

terça-feira, 27 de abril de 2010 - 17:19 - Fotos: 

O projeto de Educação em Vigilância Sanitária (Educanvisa) será lançado, nesta quarta-feira (28), no município Pedras de Fogo. A iniciativa é da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em parceria com a Agência Estadual de Vigilância Sanitária da Paraíba (Agevisa-PB) e Prefeitura Municipal. Professores de ensinos fundamental e médio da rede municipal daquela cidade serão capacitados para realizar atividades educativas com seus alunos, como por exemplo, incentivar os cuidados com a saúde, o uso racional de medicamentos, hábitos alimentares saudáveis e o combate ao tabagismo.

Nesta primeira etapa do projeto, que será realizada nestas quarta e quinta-feira (29), os professores e os profissionais da Agevisa e da Secretaria Municipal de Saúde participarão de um treinamento ministrado por técnicos da Anvisa. “O objetivo do projeto é desenvolver ações e estratégias de educação e comunicação em saúde, em ambiente escolar, que repercutirão também nos mais diversos segmentos da sociedade. A Paraíba foi pioneira no País na ampliação do alcance social do Educanvisa, ao incluir uma escola estadual indígena (Pedro Poti, em Baía da Traição) dentre os estabelecimentos tradicionalmente contemplados com o projeto nas redes públicas de ensino”, explicou o diretor Técnico de Medicamentos, Alimentos, Produtos e Toxicologia da Agevisa, João Peixoto.

O diretor-geral da Agevisa, José Alves Cândido, esclareceu a importância de se desenvolver a ação em escolas. “As crianças e adolescentes das escolas públicas municipais contempladas pelo programa passam a desenvolver, como sujeitos ativos, através de trabalhos pedagógicos e atividades lúdicas supervisionadas por seus professores (treinados para a função), formas de atuar preventivamente no comportamento de pais, irmãos, familiares e de sua comunidade em geral, de maneira a se evitar riscos à saúde individual e coletiva, causados pela automedicação e uso irracional de medicamentos. O pequeno ou jovem cidadão passa a atuar conscientemente sobre tais problemáticas e se transforma em agente multiplicador, capaz de alterar, para melhor, a realidade local”, observou.

Da Assessoria de Imprensa da Agevisa-PB