João Pessoa
Feed de Notícias

Projeto de ressocialização desenvolvido pelo Governo do Estado ganha destaque nacional

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013 - 18:57 - Fotos: 

O programa de ressocialização desenvolvido pelo Governo do Estado da Paraíba, por meio da Secretaria da Administração Penitenciária (Seap), foi divulgado no programa Domingo Espetacular, da rede Record, na noite deste domingo (1º), mostrando a história de Silva Neto, um ex-detento que atualmente é diretor do Presídio de Sapé, uma unidade prisional que já serve de modelo para o país inteiro. Esta veiculação em rede nacional reflete o crescimento do trabalho de ressocialização que a Seap está promovendo gradativamente dentro do sistema prisional da Paraíba.

O secretário de Administração Penitenciária, Wallber Virgolino, comentou que o baixo índice de reincidência de detentos na atual gestão se deve à ampliação e melhoria de programas de ressocialização. “Por ter um programa de ressocialização mais concreto, o reeducando, ao término da sua pena, quando sai da unidade prisional, tem maiores chances de entrar no mercado de trabalho e, consequentemente, ter uma nova chance de se reinserir na sociedade”, enfatizou.

Exemplos – Além de Silva Neto, outros reeducandos começam a fazer história por meio do processo de ressocialização, a exemplo do lutador de jiu jitsu, Isaque Lucas, mais conhecido como Golias, que é faixa roxa, e depois de cumprir pena em regime fechado por assalto, agora no regime semiaberto, vem se destacando no esporte, tendo conquistado diversas medalhas na categoria pesadíssimo adulto em diferentes campeonatos, a exemplo do Open Paraíba, campeonato Norte Nordeste e Pan Americano de Jiu Jitsu.

Sobre a sua passagem pelo sistema penitenciário, Golias revelou: “Aprendi que conselho de pai e mãe é bom, os erros nos ensinam mais que os acertos. Devido ao meu erro, aprendi que a dignidade de um homem não se compra com dinheiro, está em seus atos, nos seus amigos e na sua família”.

No Presídio Padrão João Bosco Carneiro, de Guarabira, o reeducando José Wellinton Santos está tentando uma vaga no curso de Direito da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). O reeducando, que é natural da cidade de Pilões, cumpre pena por latrocínio. Ele é funcionário da cozinha da unidade penal e auxiliar do programa Saúde nos Presídios.

Na Penitenciária de Recuperação Feminina Maria Júlia Maranhão, em João Pessoas, outra integrante do processo de ressocialização é a reeducanda Márcia Félix da Silva, de 28 anos, que era vendedora antes da prisão e se encontra recolhida desde setembro de 2011, cumprindo pena por tráfico de entorpecentes.

A reeducanda é natural de João Pessoa e sua família reside da Comunidade São José. Atualmente, ela é uma das integrantes do Coral Luz, formado por reeducandas daquela instituição penal, que já ganhou destaque na Capital se apresentando em importantes eventos, especialmente de cunho religioso. Márcia Félix também desenvolve um trabalho musical com um repertório variado, acompanhada pelo agente de segurança penitenciáira Ricardo Lima, que presta serviço na Penitenciária Feminina de Mangabeira. A apresentação musical da reeducanda foi vista por mais de 300 pessoas que participaram do Primeiro Seminário de Gestão Penitenciária, ocorrido no dia 29 de novembro passado.