João Pessoa
Feed de Notícias

Projeto de galinha caipira apoiado pelo governo diversifica atividades para aumentar a renda

sábado, 5 de março de 2016 - 11:38 - Fotos:  Secom-PB

As comunidades Caboclo e Pedra Grande, zona rural de Guarabira promovem neste domingo (6), a partir das 8h, a I Feira de Agricultura Familiar e Economia Solidária. No galpão da sede da associação de Caboclo, quitandas para a mostra e venda de doces caseiros, mel de abelha e uma diversidade de produtos da agricultura familiar estarão disponíveis para o público visitante da feira, como também foram programados passeios de carro de boi, cavalo, realização de trilhas ecológicas, entre outros que se apresentam como opção de lazer e de cultura para incrementar o fim de semana.

Os moradores das duas comunidades viviam da agricultura de subsistência até o Governo do Estado, por meio do Cooperar, chegar e impulsionar a economia local com um projeto de avicultura alternativa, num investimento de R$ 325 mil, que deu para atender diretamente 21 famílias. Fruto de parceria com o Banco Mundial, os recursos foram destinados para a construção de dois galpões centrais e 21 pequenos galpões para cada uma das famílias criarem suas galinhas.

Começaram em 2011 com 5 mil aves de postura e 2 mil frangos destinados para corte, com mercado garantido através de iniciativas governamentais como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), e ainda, os empreendimentos privados.

Após a venda do frango caipira, decidiram optar pela construção do Restaurante Sabor Camponês, que começou oferecendo um cardápio pré-agendado só aos domingos com a culinária regional, e entre os pratos principais estão a galinhada caipira, feijoada, feijão de corda, farofa d’água, entre outros. Atualmente, o restaurante funciona de terça a domingo e mantém o atendimento pré-agendado, onde o cliente liga previamente para reservar o dia do almoço desejado.

No local, diversificaram as atividades do restaurante com passeios de cavalo, carro de boi e ainda oficinas de artesanato, entretenimento, atividades culturais e a Trilha Ecológica Pedra Grande. Agora inovam com a feira para melhorar o serviço oferecido na sede da comunidade.

O secretário executivo do Cooperar, Roberto Vital, afirmou que a produção da galinha caipira tem uma grande aceitação no mercado por não receber hormônios de crescimento que causam danos à saúde. Ele explicou que enquanto um pinto comum chega a 2,5 kg (apto ao abate) em 38 dias, em experiências de produção de galinhas caipiras como estas chegam a esse peso em 90 a 120 dias. “Projetos como o de Caboclo e Pedra Grande são um exemplo de como o Governo do Estado fez uma opção certa ao investir mais de R$ 43 milhões em projetos de fortalecimento da cadeia produtiva do mel, piscicultura, caprinocultura e avicultura caipira”, destacou.

Além do Cooperar, a Associação dos Produtores Rurais do Caboclo e Pedra Grande também conta com o apoio de outros parceiros, como o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), Empreender-PB, Emater, Sebrae e Diocese de Guarabira.