João Pessoa
Feed de Notícias

Projeto Castelo de Bonecas capacita reeducandas de Campina Grande

terça-feira, 23 de julho de 2013 - 18:43 - Fotos:  Saulo Nunes

As reeducandas do Presídio Feminino de Campina Grande receberam, durante a manhã e a tarde desta terça-feira (23), uma capacitação para a fabricação de bonecas de pano, por meio do projeto Castelo de Bonecas, que é desenvolvido dentro da Penitenciária de Recuperação Feminina Júlia Maranhão, em João Pessoa, como parte do processo de ressocialização desenvolvido pela Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap).

O secretário de Administração Penitenciária, Wallber Virgolino, enfatizou, mais uma vez, o trabalho de ressocialização dentro do sistema prisional da Paraíba. “É de conhecimento da população que o Governo do Estado, através da Seap, vem trabalhando intensamente na implementação das políticas públicas de ressocialização dentro do sistema carcerário, seja com a parte educativa, nos cursos como o Projovem urbano, no esporte ou na área de cultura, onde já estamos conquistando importantes resultados e transformando pessoas que estão privadas da liberdade neste momento em verdadeiros artesões e isto é uma junção da vontade destas pessoas, que estão absorvendo e acolhendo nossas propostas, junto com a vontade política deste governo, que acredita na ressocialização através da arte e da cultura”, afirmou.

Castelo de Bonecas – O curso está atendendo um total de 16 reeducandas, que demonstram uma grande habilidade manual por já serem participantes da oficina de crochê, que acontece desde novembro do ano passado, três vezes por semana, no Presídio Feminino de Campina Grande. Na oficina, estão sendo utilizados materiais como retalhos, linhas de costura e de crochê, lãs, tintas, fitas, cola quente, missangas e outros tipos de aviamentos.

A diretora do Presídio Feminino Júlia Maranhão, Cinthia Almeida, ressaltou esse trabalho vem sendo realizado com êxito há um ano. Ela citou como exemplo o fato de uma reeducanda da Penitenciária de Recuperação Feminina Júlia Maranhão, qualificada dentro do sistema prisional, passar a sua experiência para outras internas de outra unidade e em outra cidade. “Isso demonstra que estamos no caminho certo e que esta política pública é essencial no processo de ressocialização”, afirmou.

Já a diretora do Presídio Feminino de Campina Grande, Alinne Cardozo, destacou a importância da ação, “ uma vez que dissemina o conhecimento através de reeducandas que já receberam a capacitação e estão passando esta experiência para outras, além de ser uma forma da interna conhecer a realidade de outras unidades prisionais”.

A ministrante da oficina, Mara da Silva, pontuou. “É emocionante poder passar o que eu aprendi para outras pessoas que estão na mesma situação que a minha, e que vão poder aprender um pouco do que eu aprendi e passar para as outras. Este processo é maravilhoso, além de que, quando as bonecas ficam prontas, o resultado é muito bonito”.