Fale Conosco

15 de março de 2014

Programa-Piloto de envio de amostras do Teste do Pezinho é prorrogado até 15 de maio



O Ministério da Saúde decidiu prorrogar por dois meses o Projeto-Piloto de envio das amostras do Teste do Pezinho ao Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba (Lacen-PB). O projeto, que é uma ação do MS em parceria com o Governo do Estado, teve início em 13 de janeiro na Paraíba e inicialmente seria realizado até 14 de março. A data final para o envio das amostras agora será 15 de maio.

De acordo com a diretora técnica do Lacen-PB, Gerlania Sarmento, o MS decidiu prorrogar a data de encerramento do programa porque no período de início de ano os dados gerados estão suscetíveis à variações devido aos feriados e às férias. “Os dados gerados em janeiro e fevereiro revelaram-se muito valiosos, porém, o período revelou variáveis, como greve, férias, feriados, e essas variáveis podem gerar algumas distorções nos resultados. Por isso, o Ministério da Saúde decidiu prorrogar por mais dois meses essa atividade, para benefício do cálculo final do valor de financiamento necessário para a expansão desta ação para o país inteiro”, explicou.

Segundo a consolidação de dados do mês de janeiro, dos 223 municípios da Paraíba, 88 enviaram amostras para o laboratório, o que representa uma adesão municipal de 39,5%.  No total, foram executadas 179 remessas. Gerlania ressaltou que os municípios que precisarem de envelopes deverão procurar as suas respectivas Gerências Regionais de Saúde ou o próprio Lacen-PB.

Projeto – O Projeto-Piloto de envio das amostras do Teste do Pezinho ao Lacen-PB tem por objetivo diminuir o prazo entre a coleta de amostras e a chegada da amostra ao laboratório. A Paraíba foi um dos estados selecionados para participar do projeto, junto com Alagoas, Ceará, Pará, Pernambuco, Sergipe e Rio Grande do Sul.

Para o projeto, o Lacen-PB recebeu 10 mil envelopes. O laboratório envia os envelopes para as Gerências Regionais de Saúde distribuir com os municípios de sua região. Eles são usados para que os municípios enviem a coleta do sangue via Sedex ao Lacen, agilizando o processo.

Quando o resultado aponta a existência de alguma anormalidade, o laboratório entra em contato com os responsáveis pela coleta para que o bebê receba logo o atendimento adequado. De acordo com Gerlania, isso favorece para que o teste do pezinho seja realizado com maior rapidez, o que é melhor para as crianças.

“Antes os municípios demoravam até 20 dias para postar e enviar as amostras ao laboratório. É importante lembrar que quanto mais precocemente o teste do pezinho for realizado e seu diagnóstico seja liberado, mais rápido a criança que apresente algum problema poderá realizar um tratamento. Isso diminui as chances da criança ficar com alguma sequela”, explicou.

Teste do Pezinho – O teste do pezinho é realizado uma única vez, após 48 horas do nascimento do bebê e até o sétimo dia de vida. Na rede pública, o teste é feito em 163 postos de coleta instalados nas maternidades ou nas Unidades Básicas de Saúde da Família. O exame é essencial para o desenvolvimento da saúde do bebê, pois detecta precocemente doenças metabólicas, genéticas e infecciosas, que poderão causar alterações no desenvolvimento neuropsicomotor do bebê.