Fale Conosco

12 de maio de 2009

Programa ensinará estudantes de 81 municípios a prevenir doenças



Investir na prevenção de doenças ainda é mais econômico do que tratar os problemas de saúde da população e também pode melhorar o desempenho educacional das pessoas. Acreditando nisso, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) e órgãos parceiros lançaram, na manhã desta terça-feira (12), o Programa Saúde na Escola, que vai contemplar inicialmente 81 municípios do Estado com baixo Índice de Desenvolvimento da Atenção Básica (Ideb).

Com isso, cada equipe de Saúde da Família desses municípios recebeu R$ 6 mil para avaliar a saúde dos alunos e orientá-los sobre a prevenção de doenças. O lançamento ocorreu na Sala de Convenções 3 da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, no bairro do Altiplano, em João Pessoa.

O evento foi marcado pela Oficina de Implementação, que aconteceu durante todo o dia, com a participação de representantes dos ministérios da Saúde (MS) e da Educação (MEC). Os municípios que aderiram ao programa aprenderam nessa atividade como aplicar os recursos.

Pioneirismo – Segundo a secretária-executiva da Saúde, Lourdinha Aragão, pela primeira vez na Paraíba um programa de saúde será realizado nas escolas públicas para ensinar crianças e adolescentes as maneiras corretas de prevenir doenças. “É um momento histórico, onde as secretarias de Saúde e de Educação do Estado vão atuar em conjunto para melhorar os indicadores da educação e da saúde, a exemplo das altas taxas de pessoas com doenças sexualmente transmissíveis e gravidez indesejada”, informou.

Ela lembrou que é preciso, através de medidas simples, prevenir determinados tipos de problemas como a dengue, por exemplo, que ainda está longe de ser dominada e o mais agravante é a falta de informação. Segundo Lourdinha, a escola é um instrumento para disseminação das informações. “Através de uma educação permanente poderemos certamente contribuir para diminuir os agravos”, declarou.

Evasão escolar – A gerente-executiva da Atenção Primária da SES, Niedja Rodrigues, lembrou que o programa vai representar inicialmente um momento de interação, de intersetorialidade entre as secretarias municipais com as secretarias de Saúde e de Educação do Estado.

Ela lembrou que o Saúde na Escola é uma ação contínua que receberá, anualmente os recursos através do Fundo Nacional de Saúde, com repasse para o Fundo Municipal de Saúde, a fim de diminuir os índices de evasão e repetência escolar causados por problemas ligados à saúde.

Niedja lembrou que muitas vezes a criança ou adolescente não tem um bom rendimento educacional, porque apresenta problemas auditivos, visuais e de voz, cárie dentária, verminoses e outros que não foram diagnosticados e nem tratados. A gravidez na adolescência também é um problema que atinge diretamente o desempenho das estudantes. É para avaliar a saúde dos alunos e orientar sobre esses e outros assuntos que as equipes de Saúde da Família foram incluídas no programa.

Para a secretária municipal de Saúde de São Sebastião de Umbuzeiro, Geralda Cristiane Reinaldo, o programa é muito importante, pois a saúde não trabalhará sozinha. “Se nossas crianças tiverem saúde, no futuro terão maior capacidade de aprendizagem”, pontuou.