Fale Conosco

11 de maio de 2016

Programa Alô Mãe realiza 2.853 ligações telefônicas para gestantes em menos de dois meses



No período de 4 de março a 29 de abril, o Programa Alô Mãe, de monitoramento de gestantes, da Secretaria de Estado da Saúde (SES), realizou 2.853 ligações para gestantes de 92 municípios. Foram atendidas (atendimento concluído) 969 grávidas. Quanto às condições de saúde, os maiores problemas encontrados foram: infecção urinária; anemia; hemorragia; exantemas (manchas avermelhadas) e violência doméstica. O Programa acompanha, por meio de ligações telefônicas, o processo de cuidado no pré-natal das gestantes em todo o Estado.

“Os municípios nos enviam os contatos das gestantes que já estão fazendo o pré-natal para que os nossos operadores liguem e elas respondem um questionário onde são coletados dados para elaboração de perfil epidemiológico, para subsidiar a elaboração, implantação e implementação de Políticas Públicas de Saúde que atendam às demandas e necessidades da população doEstado”, explicou a coordenadora do Alô Mãe, Shenia Maria Felix.

Os profissionais do Alô Mãe ligam para as gestantes e fazem perguntas contidas num questionário, como dados pessoais; datas de consultas; exames e vacinas, além de fornecer orientações sobre o acompanhamento que deve ser realizado pelos profissionais das equipes de saúde da família. Além disso, alertam da necessidade de enfrentamento e combate ao mosquito Aedes aegypti.

A partir das informações, disponibilizadas pelas gestantes, será considerado alerta o fato de terem apresentado sintomas e/ou sinais das doenças ocasionadas pelo mosquito (dengue, zika e chikungunya), durante a gestação. Nestes casos, de imediato, serão orientadas a buscarem os serviços de referência, considerando o Protocolo de Atenção à Microcefalia do Estado daParaíba.

O Programa Alô Mãe ainda tem o objetivo de encaminhar aos gestores municipais relatórios periódicos sobre à situação das gestantes e alertas sobre o acompanhamento do pré-natal, com ênfase na qualidade do cuidado, agendamento de consultas e acesso aos exames. Aliado a isso, as Gerências Regionais de Saúde recebem relatórios periodicamente para monitoramento da atenção pré-natal junto aos municípios e à Rede de Atenção Materno Infantil.