João Pessoa
Feed de Notícias

Profissionais do ‘Mais Médicos’ já atendem na Atenção Básica da Paraíba

terça-feira, 10 de setembro de 2013 - 11:28 - Fotos:  José Lins/Secom-PB

Karinthea Kerlla é um dos dois profissionais de medicina que foram enviados pelo programa ‘Mais Médicos’ para ocupar vagas que existiam em Unidades de Saúde de Bayeux desde o dia 3 deste mês. “O programa é uma boa oportunidade tanto para os municípios, quanto para os médicos que querem trabalhar na saúde pública como clínico geral”, disse Karinthea que era enfermeira concursada e cursava medicina. Ela concluiu o curso e inscreveu-se no programa do Governo Federal.

Duas das 28 USF de Bayeux estavam sem médicos há dois meses, o que deixa sem atendimento cerca de 32 pessoas diariamente em cada posto. Natural de João Pessoa, a médica disse que trabalhar numa USF é gratificante pelo nível de responsabilidade com a população: “O bom da USF é que proporciona um conjunto de benefícios à população, já que trabalhamos na prevenção de doenças e distribuímos medicação. Atendemos a todos, desde gestantes e idosos a crianças”, disse.

As duas profissionais escaladas para Bayeux são paraibanas. Karinthea Kerlla era enfermeira na maternidade do município e hoje é médica na Unidade de Saúde da Família do Alto da Boa Vista II.

Já para a vaga da USF Mário Andreazza I o Programa Mais Médicos escalou Priscilla Leite, paraibana que passou um período em São Paulo e agora retornou por conta do Programa.

Para o secretário de saúde de Bayeux, Fernando Ramalho, o Programa Mais Médicos vem acabar com uma rotina: a rotatividade dos recém-formados. “Eles entram no mercado de trabalho com outros projetos, diferentes da atenção básica, deixando as unidades de saúde sem profissionais. Com o programa há grande esperança de se melhorar a qualidade do atendimento e a acessibilidade da população aos serviços básicos de saúde,” disse.

Por várias vezes a dona de casa Janiele da Silva Ferreira foi à USF do Mario Andreazza com a filha doente e não encontrava médico. Da última vez foi atendida: “Achei excelente. A médica não só me escutou muito bem como explicou o problema da minha filha e agora está fazendo o encaminhamento para fazer uns exames”, disse.

O mesmo aconteceu com o comerciante Bonifácio Medeiros da Silva, que também não havia conseguido assistência para a esposa na USF da Boa Vista. “Agora quando se precisa de médico tem”, festejou.

Distribuição – O programa está disponibilizando 60 médicos para a Paraíba, sendo 47 brasileiros e 13 estrangeiros. Os brasileiros já estão trabalhando nos seguintes municípios: João Pessoa (20); Bayeux (2); Areia (2); Alagoinha (1); Bananeiras (1); Barra de Santana (1); Belém do Brejo do Cruz (1); Caaporã (1); Cacimba de Dentro (1); Cajazeirinhas (1); Catingueira (1); Caturité (1); Conde (1); Cruz do Espírito Santo (1); Cubati (1); Ingá (1); Itapororoca (1); Juripiringa (1); Lucena (1); Nova Floresta (1); Pocinhos (1); São Miguel de Taipu (1); Serra Redonda (1); Solânea (1); Tavares (1) e Vieirópolis (1).

Dos 13 médicos estrangeiros que trabalharão na Paraíba, nove são cubanos; dois espanhóis, um uruguaio e um brasileiro formado na Espanha. Os municípios Aguiar, Baraúnas, Damião, Gado Bravo, Pedra Lavrada, Picuí, Santana de Mangueira, Serra Grande e Taperoá receberão os médicos cubanos. Já as cidades de Água Branca e Baía da Traição receberão os espanhóis e Areia e Cacimba de Dentro receberão os médicos uruguaio e brasileiro formado na Espanha.

A previsão é que os profissionais estrangeiros chegarão aos municípios no sábado ou domingo (14 e 15) e comecem a trabalhar na próxima segunda-feira (16). Esses profissionais deverão levar assistência médicas a mais de 180 mil paraibanos.

Programa Mais Médicos – Lançado pela Presidência da República no dia 8 de julho, o ‘Mais Médicos’ faz parte de um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do SUS, firmado com Estados e Municípios, com objetivo de acelerar os investimentos em infraestrutura nos hospitais e unidades de saúde, e ampliar o número de médicos nas regiões carentes do país. O regime trabalhista é de 40 horas semanais e o salário é de R$ 10 mil.