João Pessoa
Feed de Notícias

Produtores só têm mais uma semana para vacinação contra a febre aftosa

terça-feira, 24 de maio de 2011 - 17:57 - Fotos:  José Marques/Secom-PB

Campanha encerra dia 31 - José Marques/Secom-PB

O Governo do Estado alerta aos produtores que o prazo para encerramento da 1ª etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa 2011 encerra na próxima terça-feira (31). Os produtores paraibanos que ainda não realizaram a vacinação dos bovinos e bubalinos precisam garantir a imunização do rebanho. Já a segunda etapa acontece em novembro.

A meta da Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), de acordo com o secretário titular, Marenilson Batista da Silva, é consolidar a cobertura integral do rebanho paraibano – estimado em 1 milhão e 269 mil e 451 bovinos; e 1 mil 625  bubalinos – e tornar o Paraíba área livre de febre aftosa com vacinação, junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O relatório parcial com a venda de vacina superou todas as etapas anteriores. Já foram vendidas, até o dia (15) deste mês, aproximadamente 300 mil doses de vacina contra Febre Aftosa. Segundo o gerente Executivo da Defesa Agropecuária, Jamir Mascena de Sousa, a campanha está caminhando dentro do previsto.

Por determinação do secretário Marenilson Batista, nesta reta final da Campanha, os escritórios das Ulsavs e Emater dos 223 municípios permanecerão abertos em tempo integral com prioridade para as atividades da Campanha de vacinação.

A próxima obrigação do produtor é procurar as Unidades Local de Sanidade Animal e Vegetal (ULSAVs) ou os escritórios das Emater em seu município para fazer a notificação de que seu gado foi vacinado. A não-imunização do rebanho deixa o pecuarista sujeito a sanções e multas previstas na Lei Estadual de Defesa Sanitária Animal. “Além de multa que chega a R$ 160 por cabeça de gado sem vacinação, os pecuaristas podem ter suas propriedades interditadas e a proibição da comercialização dos animais e seus subprodutos”, avisa Marenilson.

O prazo para os pecuaristas declararem a vacinação do rebanho junto aos escritórios locais dos ULSAVs vai até o dia 10 de junho. Além dos recibos das vacinas adquiridas, eles deverão levar às unidades o formulário preenchido com as informações dos animais vacinados e as características das propriedades, para atualização do cadastro. Após a notificação da vacinação, os pecuaristas receberão o Guia de Trânsito Animal (GTA), documento que certifica o trânsito e a procedência dos rebanhos animais no Estado.

Prejuízo - A preocupação com a erradicação da febre aftosa no Estado encontra-se na questão econômica sua principal fundamentação. Caso ocorra foco da doença em alguma parte do território brasileiro, todo o país fica impedido de comercializar e exportar carne, o que causaria prejuízos de aproximadamente R$ 12 bilhões.

O último foco da doença na Paraíba foi registrado em 2000, no município de Araçagi, na meso região do Agreste.

“Na última Campanha de Vacinação Contra Aftosa, em outubro de 2010, não conseguimos índices de vacinação positivo. Este ano o Governo do Estado vem trabalhado melhor a conscientização do produtor”, destaca Rômulo Montenegro, secretário Executivo da Agropecuária e Pesca. “O nosso objetivo é realizar uma Campanha de vacinação com responsabilidade a fim de proteger o nosso rebanho e garantir produtos animais saudáveis e de qualidade à população”, concluiu.