Fale Conosco

2 de novembro de 2012

Produtores destacam importância da distribuição de ração para manter o rebanho



Os criadores e pecuaristas paraibanos elogiaram a iniciativa e reconheceram os avanços do Governo do Estado com a distribuição de ração animal dentro do Programa Emergencial de Manutenção do Rebanho, lançado na última terça-feira (30). Para eles, a ação está contribuindo para minimizar os efeitos da seca no que diz respeito à manutenção do rebanho.

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa), Mário Borba, disse que esse é um programa inédito na Paraíba e que nenhum governo anterior teve a iniciativa de implantar um programa de distribuição de ração animal para os pequenos e médios produtores da Paraíba.

De acordo com Mário Borba, tanto a distribuição gratuita do volumoso para os agricultores atendidos pelo Pronaf como a venda subsidiada da ração proteinada com 50% de desconto estão minimizado e até garantido a manutenção de parte do rebanho paraibano. “A gente sabe que o programa não atenderá todos em sua plenitude diante de uma situação tão crítica, mas temos que parabenizar o esforço do governador Ricardo Coutinho que, de forma inédita, investe em mecanismos para manter o rebanho dos produtores do Estado e para enfrentar a seca que assola a Paraíba e o Nordeste”, enfatizou Mário Borba.

O produtor Antonio Wanderley, de Patos, foi um dos que já adquiriu a ração para alimentar o gado neste período de grave seca. “Quero agradecer em nome de toda a comunidade pecuarista da região. O programa veio amenizar muito a situação do homem do campo, do agricultor, com o preço subsidiado que cabe no bolso e possibilitar manter o rebanho nos próximos meses”, declarou o produtor.

O Governo do Estado está investindo R$ 7 milhões na distribuição da silagem de milho ou sorgo, torta de algodão e farelo de soja com preços subsidiados de até 50%. Foram adquiridas 4.225 toneladas de farelo de soja e torta de algodão e 4.400 toneladas de silagem de milho e sorgo. A ração subsidiada, a torta de algodão e o farelo de soja serão vendidos nos escritórios e armazéns da Empasa de Campina Grande, Monteiro, Patos, Itaporanga, Pombal, Sousa e Catolé do Rocha. Já a silagem, nos postos da Empasa de Campina Grande, Monteiro, Patos e Sousa.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Agrário, Marenilson Batista, a venda subsidiada do silagem de milho, sorgo, torta de algodão e farelo de soja gera uma redução de 50% no preço da ração vendida no mercado. “Neste período de seca o preço da ração animal disparou impedindo que parte dos produtores conseguisse manter o rebanho. Por isso, assim como está previsto na lei, o programa se estenderá por um período de seis meses e irá proteger a criação de bovinos, caprinos e ovinos dos efeitos da maior seca dos últimos 50 anos”, afirmou.

O Governo do Estado também está distribuindo gratuitamente, desde o mês de agosto, um total de 17 mil toneladas de ração animal de forma gratuita para mais de 24 mil produtores rurais. A expectativa da Defesa Civil do Estado é distribuir mais duas mil toneladas de ração animal até o final de novembro, totalizando 19 mil toneladas distribuídas no ano.