Fale Conosco

28 de janeiro de 2013

Produtores de leite debatem criação de cooperativa e convivência com a seca em Santa Cecília



Os agricultores familiares  do município de Santa Cecília, no Cariri paraibano, estão criando uma cooperativa para a produção de leite e derivados. O primeiro passo foi dado na semana passada, com a palestra ministrada pelo Engenheiro Agrônomo Ailton Francisco dos Santos, da Unidade Operativa da Emater na cidade, sobre cooperativismo. A conferência contou com a participação de 40 criadores interessados e teve como principal objetivo incentivar a criação da cooperativa de leite no município. Na oportunidade, também foi discutida a produção de ração para alimentar os rebanhos durante o período de estiagens para garantir a normalidade no fornecimento do produto.

Santa Cecília é um dos maiores produtores de leite do Estado. O município possui cerca de 500 criadores que comercializam o leite in natura e, principalmente, o queijo de coalho, vendido em varias cidades da Paraíba e Pernambuco, como Campina Grande, Queimadas, Umbuzeiro Santa Cruz do Capibaribe, Toritama, Santa Maria do Cambucá, Surubim, Vertentes, Vertente do Lerio, entre outros. A cidade é conhecida pela qualidade e sabor do queijo produzido. “Os principais problemas enfrentados pelos criadores são os atravessadores, o preço da ração animal e o individualismo”, afirmou o técnico Ailton Francisco.

Buscando minimizar os efeitos negativos da cadeia produtiva do leite em Santa Cecília, a Emater está orientando, mobilizando e incentivando os agricultores através de uma série de ações. Entre elas estão a realização de mini-cursos sobre conservação de forragens, que serão realizadas em todas as comunidades rurais do município no decorrer deste ano; cursos de leite e derivados em parceria com o Senar-PB, que vão acontecer nos meses de março e abril nas duas principais comunidades produtoras de leite; a mobilização para a criação de uma cooperativa que iniciou com a palestra sobre cooperativismo; a implantação de banco de proteínas, previsto para iniciar no período chuvoso, e um dia de campo sobre palma forrageira em julho.

A ideia da criação de uma cooperativa foi bem aceita pelos agricultores presentes na palestra. O próximo passo será visitar duas cooperativas em Campina Grande. Em fevereiro, será realizada mais uma reunião com uma técnica da Emater, que vai falar sobre cooperativismo, em uma ação acompanhada pelo Escritório Regional da Emater em Campina Grande.