Fale Conosco

15 de fevereiro de 2012

Produção de abacaxi da Paraíba será debatida em chat com participação da Emater



A produção paraibana de abacaxi será tema de um debate internacional via internet que começa às 16h deste domingo (19), pelo site www.todafruta.com.br. O chat reunirá pesquisadores, empresários e dirigentes de centrais de comercialização, e terá a participação da Emater Paraíba, que foi convidada pelo site.

Especialista nessa cultura, Leôncio Vilar representará a empresa e responderá questionamentos sobre o cultivo do abacaxi. Participarão pesquisadores de outros Estados, como Aloísio Costa Sampaio e Marcelo Fidelis Braga (ambos de São Paulo), e de outros países, como Zulay Castro (Costa Rica) e Sergio Cenci e Charlotte Sales (Venezuela).

Entre os temas abordados se destacarão a padronização e o comércio nacional de abacaxi, a produção integrada, a sustentabilidade da cadeia produtiva, o mercado consumidor e o intercâmbio de informações sobre as experiências em outros Estados e países produtores.

Segundo Vilar, no ano passado, a produção de abacaxi foi de 1.413.352.000 frutos. Coube à Paraíba a produção de 273.520.000 unidades, ganhando do Pará, que produziu 248 milhões de frutos, e Minas Gerais, com 222 milhões. O município paraibano de Itapororoca concentra 76% da produção de abacaxi, seguido de Santa Rita e Araçagi. Abacaxi é uma cultura cara e custa, em média, R$ 12 mil para se produzir um hectare.

A produção de abacaxi na Paraíba continua despertando interesse dos consumidores e centros de pesquisas que acreditam no potencial do Estado para a produção desta cultura. No ano passado, foi introduzida uma nova variedade resistente à fusariose, doença que ataca o fruto e causa perda de até 40% da safra. As mudas estão em fase de cultivo no município de Itapororoca; posteriormente, serão distribuídas para os agricultores.