João Pessoa
Feed de Notícias

Procon realiza nova pesquisa sobre produtos vendidos no período da Páscoa

quinta-feira, 25 de março de 2010 - 09:06 - Fotos: 
Desta vez, a pesquisa se estendeu a todos os tipos de chocolate, principalmente os já tradicionais ovos de Páscoa, que são vendidos nas lojas do ramo, na capital paraibana.

Em sua totalidade, foram pesquisados 107 itens do produto, desde simples caixas de chocolates sortidos até ovos finos de até um quilo. A pesquisa percorreu os principais centros comercias de João Pessoa e possibilitou um panorama geral, por amostragem, sobre as vendas nesse período que antecede a Páscoa.

Durante esta semana, o defensor público geral, Marcus Gerbasi, reuniu-se com o secretário executivo do Procon Estadual (órgão vinculado à Defensoria Pública) e com o chefe de Fiscalização e Pesquisa, Helton René, para analisar como está se comportando o mercado da capital, neste período pascal, para evitar que o consumidor seja lesado ao pagar preços exorbitantes ou mesmo adquirir produtos com prazo fora da validade.
    
Muito embora a comemoração religiosa seja comemorada apenas no mês de abril, os efeitos da concorrência já podem ser sentidos no bolso do consumidor mais atento. A maior variação foi encontrada no Ovo Serenata Jóia 510 g, Nº 22, que varia entre R$ 16,98 a R$ 48,99, com variação de 188,5%. Outro produto que merece destaque é o  Ovo Galak, Nº 15, 240g, que pode ser encontrado de R$ 17,50 a R$ 49,99, com variação percentual de 185,7%.

De acordo com o secretário executivo do Procon, Roberto Sávio, “nossa orientação  é que os consumidores evitem adquirir ovos de Páscoa sem data de validade, observação válida tanto para ovos industrializados como para os caseiros, como forma de se evitar problemas de saúde, tão comuns nessa época de excessos.

Para os pais que forem presentear os filhos com ovos acompanhados de brindes, como brinquedos ou relógios, deverão verificar na embalagem do produto o selo do INMETRO, com indicação de idade apropriada para o uso do brinde. Isto porque alguns produtos poderão soltar as peças e causar transtornos a crianças menores”.

Já o chefe de Fiscalização e Pesquisa do Procon Estadual, Helton René,  lembrou que o consumidor deverá sempre solicitar a nota fiscal do produto. Ela é uma garantia caso haja algum problema com a qualidade ou data de validade do alimento e o comprador necessite reivindicar algum direito.

Como nos encontramos a poucos dias da Páscoa, o Procon-Pb realizou também  pesquisa de vinhos. Foram examinados cinco estabelecimentos na capital paraibana e a variação pode chegar até 225% no mesmo produto.

Esse percentual se refere ao vinho Cella Lambrusco Biando, que pode ser encontrado entre  R$ 5,99 a R$ 19,30  nos estabelecimentos da capital. Outra variação alta é o vinho Miolo Seleção Tinto, que pode ser encontrado de R$ 15,99 a R$ 27,48. A menor variação se deu por conta do vinho chileno Concha Y Toro reservado Carmenére,  que pode ser encontrado entre R$ 18,75 e R$ 19,96,perfazendo uma variação de 6,5%.

“O importante é o consumidor saber exatamente o que está adquirindo e fazer o cálculo do custo-benefício de cada produto”, ressalta o secretário executivo, Roberto Sávio.
O Procon ainda disponibilizará uma nova pesquisa para os dias que antecedem a Páscoa, com o intuito de observar como o mercado está se comportando.

Fátima Araújo, da Defensoria Pública