Fale Conosco

23 de agosto de 2012

Problemática das drogas é tema de espetáculos na Semana Cultural do CAPS



Um grupo de teatro formado por três usuários em tratamento de dependência química e outro de música, o “Fala Guri”, formado por crianças em situação de risco social do Centro de Educação Produtiva,  em Mamanguape, foram as atrações da programação realizada na tarde desta quinta-feira (23) na Semana Cultural do Centro de Atenção Psicossocial  (CAPSad  III), que funciona no bairro da Torre, em João Pessoa.

A peça “Os Nóis de Nós”, apresentada pelo grupo de teatro, enfocou a problemática da droga e chamou atenção da sociedade para a questão. A 1ª Semana Cultural do Caps-Ad III foi aberta no último dia 20. Nesses cinco dias aconteceram palestras, apresentações culturais e várias outras atividades recreativas educativas e de cidadania.

“O que nós queremos mostrar aqui são os resultados positivos que temos com a recuperação dos dependentes químicos e a reinserção deles no mercado de trabalho”, disse a diretora geral do CAPS-Ad III, Marileide Martins. Ela afirmou que 51 dependentes químicos que estiveram em tratamento no CAPS foram inseridos no mercado de trabalho graças a parcerias com empresas privadas e públicas.

O voluntário Renato Leitão, que trabalha na elaboração de projetos sociais com o objetivo de inserir no mercado de trabalho as pessoas com dependência química, participou das atividades da semana cultural. “Aqui no CAPS eu tento despertar nos usuários a importância do empreendedorismo para que eles despertem seus talentos e busquem uma vocação profissional”, destacou.

Caps-AD III – O serviço presta atendimento às pessoas com transtornos mentais graves e persistentes, podendo também atender portadores de necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas. O CAPS tem hoje 380 pessoas em tratamento e atende a cerca 80 pessoas por dia.

Enquanto estão em tratamento, os usuários participam de atividades recreativas e culturais e de oficinas terapêuticas.  O serviço é o único no Estado que tem médicos infectologista, clínico geral e psiquiátrico atendendo 24 horas, inclusive aos sábados e domingos.  O centro também oferece atendimento em psicanálise e psicoterapia individual.