Fale Conosco

2 de maio de 2018

Prima inaugura sede própria nesta quinta-feira e forma orquestra de piano



O Programa de Inclusão Através da Música e das Artes (Prima) ganha sede própria a partir desta quinta-feira (3). A nova sede do Programa está instalada no prédio histórico do “Casarão dos Azulejos”, localizado no Centro de João Pessoa e é tombado pelo  Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (Iphaep). O prédio, que passou por uma minuciosa restauração, abrigará, além da parte administrativa e pedagógica do Prima, o primeiro polo de piano do Programa, em parceria com o Laboratório de Ensino Coletivo em Piano (LEC) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

O diretor-geral do Programa, Milton Dornellas, lembra que o espaço contempla ainda um auditório para formação, palestras, lançamentos de livros e recitais, que acontecerão todas as sextas-feiras a partir das 17h. “As três primeiras semanas serão exclusivas para Recitais de alunos e professores do Prima e a última sexta-feira do mês será para outras Instituições que queiram participar e convidados”, adiantou. Segundo a maestrina do Programa, Priscila Santana, a ideia é criar uma orquestra de pianos, uma iniciativa pioneira no país.

A inauguração da nova sede do Prima acontecerá nesta quinta-feira (3) a partir das 18h, no próprio Casarão dos Azulejos, e as matrículas para o novo polo já podem ser realizadas no local, nos turnos da manhã e tarde.

Com a inauguração da sede no Casarão, o Programa já conta com 23 polos distribuídos por todo o Estado e cerca de mil alunos inscritos. O Programa de Inclusão Através da Música e das Artes é gerido pelas Secretarias de Estado da Cultura e Educação e possui como objetivo principal promover o acesso à educação musical de crianças e jovens que residem em áreas de vulnerabilidade social.

O Casarão – O Casarão dos Azulejos foi construído no Século XVIII, no coração da cidade de João Pessoa (Rua Conselheiro Henriques, 159 – em frente à Praça Dom Adauto, no centro da cidade). Segundo Milton, instalar o Prima num espaço de grande representatividade histórica e cultural tem vários significados. “Primeiro porque reafirma a importância do Prima enquanto política pública do Governo do Estado. Isto prova que o Programa tem asas para voar alto e que vai longe. Em segundo, atinge nosso objetivo, que é também atender as populações do Porto do Capim, Roger e Baixo Roger, Cordão Encarnado e Ilha do Bispo. Terceiro, teremos uma sede com atividades permanentes contribuindo para a vitalidade do Centro Histórico. Quarto, estaremos abertos para visitações turísticas como mais um ponto importante para quem visita a Paraíba e que certamente, quem o visitar, levará uma excelente recordação arquitetônica, cultural e pedagógica”.