João Pessoa
Feed de Notícias

Porto de Cabedelo volta a ser rentável em apenas oito meses

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009 - 17:15 - Fotos: 
O Porto de Cabedelo, mesmo operando com 70 a 80 por cento de sua capacidade ociosa, está apresentando resultados positivos e permitindo uma arrecadação gerada com recolhimento do ICMS pelas empresas que ali atuam de R$ 35 milhões por mês, conforme anunciou na manhã desta quarta-feira (9) o presidente da Companhia Docas da Paraíba, Wagner Breckenfeld, durante entrevista coletiva para um balanço das ações realizadas durante oito meses da atual administração.

O encontro com a imprensa foi prestigiado pelo vice-governador Luciano Cartaxo, que também falou da recepção ao primeiro navio com passageiros da MSC Melody e acompanhou o receptivo preparado para a ocasião.

“Com apenas oito meses de gestão, o Porto conseguiu não apenas sanar problemas deixados por administrações anteriores, como também mostrar à população paraibana que pode ser superavitário e contribuir de forma expressiva para o desenvolvimento do Estado”, afirmou.

A cobrança de débitos que não estavam sendo pagos pela utilização das áreas do porto, austeridade e maior controle nas obras, corte de despesas não essenciais e, principalmente, a clareza nos objetivos e metas na administração foram imediatamente adotadas.

Segundo ele, pelo que tomou conhecimento “estaria existindo um movimento externo visando inviabilizar o funcionamento do Porto, para que passe a ser administrado por empresa particular. Mesmo diante do quadro em que foi encontrado o Porto de Cabedelo, o órgão é viável. Houve seis anos de prejuízos consecutivos. Agora em 2009 vai chegar ao final do ano dando lucro”, comentou.

Recuperação – “Ao assumir a administração do porto, a determinação do governador José Maranhão foi para a recuperação do atracadouro. Hoje já mostra sinais das ações empreendidas, pois registramos a presença de espera de navios para atracamento”, disse Wagner.

Medidas urgentes foram tomadas e resolveram pendências que tornavam a administração inviável, começando por oferecer melhores condições de trabalho aos funcionários e melhoria salarial. Houve o incremento da receita do Porto e foi assinado um acordo coletivo de trabalho com o Sindicato dos Operários nos Serviços Portuários da Paraíba, que assegura um reajuste de 7,5% nos salários dos portuários. No ano de 2008, a categoria não teve reajuste e, em 2007, foi apenas de 1%.

Fim de privilégios – A atual administração acabou com alguns privilégios cedidos a empresas privadas que utilizam os serviços do Porto de Cabedelo, que consentiam a instalação de sedes empresariais na área alfandegada que é exclusiva para as operações portuárias. “Foi dado um prazo para desocupação do local, e passaram a atuar na área externa. A transparência é uma marca. Quem acessar o site do Governo do Estado, no link ‘Docas’, poderá obter todas as informações e observar o que é feito na empresa”, declarou Wagner.

Novos equipamentos
– Em julho deste ano foram adquiridos equipamentos de ponta que possibilitarão o aumento do volume de operações no local. Trata-se da aquisição de quatro modernos e possantes guindastes, com capacidade para 50 toneladas cada, e oito empilhadeiras. Com as obras que estão sendo realizadas, há a possibilidade de receber navios de 30 a 34 mil toneladas de mercadorias por embarcação.

Vem sendo viabilizado um canal medindo seis quilômetros de extensão, 150 metros de largura e 9,14 metros de profundidade. Atualmente há uma limitação de recebimento de embarcações de até 30 pés de calado. Ao final das obras, o porto poderá receber navios com 40 pés de calado.

O Governo do Estado investiu cerca de R$ 5 milhões na construção das bases de seis silos para armazenamento e posterior escoamento de malte importado da América Latina e Europa. Cinco desses silos já estão concluídos. As obras de dragagem do Porto serão financiadas com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e estão orçadas em R$ 49,4 milhões.

José Nunes, com fotos de Walter Rafael, da Secom-PB