João Pessoa
Feed de Notícias

Porto de Cabedelo discute gestão eficiente em evento internacional

sexta-feira, 8 de abril de 2016 - 18:45 - Fotos: 

O Porto de Cabedelo vai integrar um grupo formado pelos 14 portos delegados das regiões Sul, Sudeste, Norte e Nordeste do país que visa à garantia da eficiência da gestão portuária. A formação do grupo foi decidida em São Paulo nesta quinta-feira (7), no encerramento da 22ª edição Intermodal South America, que foi aberta dia 5.

Além do Porto de Cabedelo, o grupo será composto pelos portos de Imbituba (SC), Itajaí (SC), Itaqui (MA), Manaus (AM), Paranaguá e Antonina (PR), Porto Alegre e Pelotas (RS), Porto Velho (RO), Recife (PE), Rio Grande (RS), Santana (AP), São Francisco do Sul (SC), São Sebastião (SP) e Suape (PE).

A presidente da Companhia Docas da Paraíba, Gilmara Temóteo, afirmou que “estamos querendo realmente rediscutir o modelo portuário brasileiro para que a gente volte a prospectar nossas áreas e nossas licitações sem depender de Brasília”.

Gilmara destacou que os gestores portuários estão muito determinados em ser ouvidos pelo Governo federal para que possam alcançar os objetivos pleiteados. Diversos negócios foram discutidos na feira relacionados ao escoamento das cargas. “O setor integra os modais aquaviário, rodoviário, aeroviário e ferroviário. Então para nós foi muito produtiva a semana, além da promoção do estado da Paraíba e do Porto de Cabedelo para que possamos ter visibilidade e competividade nesse mercado”, avalia a gestora. Os contatos durante a feira de prospecção de negócios resultaram em uma agenda extensa aqui no Porto de Cabedelo para dar continuidade às tratativas em São Paulo.

De acordo com o diretor-presidente do Porto de São Sebastião – SP, Casemiro Tércio Carvalho, o movimento dos 14 portos visa à troca de experiências em diversas áreas que integram o setor, como assuntos jurídicos, gestão ambiental e relacionamento com as demais autoridades portuárias e com a união. Um dos assuntos de grande relevância para o grupo está relacionado aos arrendamentos de terminais portuários, que estão sob poder do governo federal. Tendo em vista que, de acordo com a nova Lei dos Portos (Lei nº 12.815), de 2013, os leilões são feitos exclusivamente pela união, o grupo discute ações e propostas para a revisão desse modelo centralizado.