João Pessoa
Feed de Notícias

Porto cresce 38%, atrai 21% mais navios e tem projetos para ser praça de referência

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013 - 09:59 - Fotos:  Roberto Guedes/Secom-PB

A Companhia Docas da Paraíba, empresa de economia mista que administra as operações portuárias, encerra o ano com recorde histórico de aproximadamente 2 milhões de toneladas movimentadas, acumulando um crescimento de 38% entre 2011 e 2013. A movimentação portuária reflete o momento econômico do entorno onde a infraestrutura está localizada, o que sugere que a Paraíba vive um bom momento.

O presidente da Companhia Docas da Paraíba, Wilbur Holmes Jácome, afirma que há um clima positivo para negócios e que o Porto de Cabedelo se insere nesse contexto. A Companhia Docas da Paraíba calcula um aumento de 25% da receita do porto em 2013 na comparação ao ano passado, assim como aumento de 21% na quantidade de navios atracados.

“Conseguimos prospectar 14 navios de passageiros. Isso melhorou o desempenho na movimentação e terá impacto no trade turístico da região”, avalia Wilbur Jácome.

O governador Ricardo Coutinho avalia que o saldo positivo na movimentação portuária tem sinergia com os investimentos públicos e privados que o Estado está absorvendo. “O Governo do Estado tem se esforçado para atrair a iniciativa privada para criação do Polo Cimenteiro da Paraíba, que colocará o Estado como o segundo maior produtor de cimento do país. Com quatro novas indústrias que estão sendo construídas, a Paraíba produzirá quase 10 milhões de toneladas de cimento ao ano. Só a Companhia de Cimento da Paraíba terá capacidade anual de 1,5 milhões de toneladas de cimento”, disse.

Recursos próprios – Mesmo com dificuldades e limitações de infraestrutura, a Companhia Docas da Paraíba vem organizando o fluxo de caixa para fazer investimentos básicos de manutenção. O porto investiu cerca de R$ 9 milhões em obras nos últimos três anos.

Além desses recursos, o Governo do Estado anunciou o início das obras de melhoria no acesso à retroárea portuária, investindo cerca de R$ 2,5 milhões na implantação de uma nova rodovia (perpendicular à BR 230) por onde circularão cerca de 450.000 toneladas de carga por ano.

O porto ganhou novas guaritas para controle de veículos, pavimentação e balanças de 36 metros que pesam até 120 toneladas de carga, reforma de armazéns, central e coletores para separação de resíduos, reforma de calçadas e estacionamentos na frente do porto, manutenção da sinalização náutica e sinalização horizontal e vertical em quadro idiomas.

Prospecção de negócios – Uma nova postura de gestão tem permitido ao Porto de Cabedelo prospectar novos negócios, a partir da sua promoção comercial. Assim, pela primeira vez, o Porto de Cabedelo participou, neste ano e no ano passado, da Intermodal, a maior feira de logística da América Latina, que reúne em São Paulo os maiores do mundo no segmento de carga.

A Companhia Docas da Paraíba elaborou material promocional em quatro idiomas (português, espanhol, inglês e mandarim), permitindo ao porto se posicionar melhor do ponto de vista da divulgação dos seus serviços e localização.

Projetos para o futuro – A equipe do Porto de Cabedelo tem elaborado projetos vitais para dar continuidade ao crescimento sustentável das operações. O foco dessa gestão é deixar a praça preparada para atender as demandas futuras. “Não temos recursos para todas as obras, mas temos que fazer e entregar os projetos executivos prontos”, diz o presidente da Companhia.

Nesse contexto, o apoio do Governo Federal fundamental para viabilizar os projetos de super infraestrutura, como o Terminal de Múltiplo Uso, reforço do cais e dragagem. Essas três obras são prioritárias e podem porque reconfiguram o Porto de Cabedelo, colocando-o dentro de um cenário de suporte logístico internacional, transformando o porto numa espécie de alimentador dos portos maiores e podendo receber vários tipos de carga. Isso daria suporte ao crescimento industrial da Paraíba.

Os investimentos previstos somam R$ 784 milhões, onde se destacam a reforma e reestruturação dos armazéns 1 e 2, implantação do sistema de drenagem, construção e montagem de nova subestação elétrica de 500 KVA, redes de alimentação elétricas para contêineres, torres de iluminação, implantação de nova rede de abastecimento de água, centro de armazenagem de granéis sólidos, ramal ferroviário e cargas gerais na retroárea, pavimentação intertravada em “brickpavers” em toda área primária, terminal de múltiplo uso com pátio de 102.000 m², com capacidade para movimentar 120 mil TEU’s (quantidade equivalente a um contêiner de 20 metros), reforço do cais comercial colocando estacamento de 25 metros de profundidade (possibilitando dragagens mais profundas), dragagem de aprofundamento do canal de acesso, bacias de evolução e atracação.

Avaliação – Na opinião do presidente do Comitê em Defesa do Porto de Cabedelo, Márcio Madruga, a gestão no porto de Cabedelo tem sido eficiente: “Já estamos trabalhando com movimentação superior às médias dos anos anteriores. Essas sementes plantadas agora são a garantia de dias melhores a médio prazo”. O Comitê trabalha com agenciamento marítimo e operação portuária há 28 anos.

A diretora administrativa e financeira do Órgão de Gestão da Mão de Obra do Porto de Cabedelo (OGMO), Taís Fernanda de Sousa Tavares, avalia que o ano de 2013 foi muito bom para a cidade de Cabedelo porque o porto aumentou a atração de navios e as melhorias implantadas pela atual gestão contribuíram com o crescimento. “Temos dados que comprovam isto. As mudanças físicas e de pessoal foram todas positivas. O OGMO, entidade de iniciativa privada que gerencia hoje mais de 200 empregos, tem acompanhado essas mudanças de mercado que estão ocorrendo”, afirma a diretora.