Fale Conosco

2 de agosto de 2011

População recebe orientações sobre aleitamento materno



A fisioterapeuta Rosângela Oliveira é uma mãe que sabe muito bem a importância do leite materno para a saúde e crescimento da criança. Ela foi uma das centenas de pessoas que participaram, na manhã desta terça-feira (2), de um café da manhã na Praça da Paz, no bairro dos Bancários, em João Pessoa – atividade que fez parte das ações para lembrar a 20ª Semana Mundial de Aleitamento Materno. O evento está sendo realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde (SES), e vai até o dia 7.

Rosângela Oliveira é mãe de dois filhos, um com três anos e outro com quatro meses. O filho mais velho foi alimentado exclusivamente de leite humano até os sete meses de vida, e só não continuou porque a fisioterapeuta teve que trabalhar. Com o mais novo, de quatro meses, ela está seguindo a mesma rotina. “O conselho que eu dou é que as mães amamentem seus filhos durante o maior tempo possível, pois esta prática só traz benefícios para a vida da criança”, disse.

A técnica de segurança do trabalho Keylha Virgínia, que também esteve no evento, foi além. Mãe de dois filhos, ela disse que amamentou as crianças até os dois anos de idade. “O apelo que eu faço é para que as mães se conscientizem sobre a importância do leite materno para a vida do bebê e não deixem de dar esse alimento tão saudável aos seus filhos”, comentou.

As pessoas que participaram do café da manhã receberam panfletos sobre a importância do aleitamento materno e foram orientadas a repassar às informações as outras pessoas, principalmente para as mulheres.

Balanço – De acordo com a coordenadora do Banco de Leite Drª Zilda Arns (Maternidade Cândida Vargas), Raquel Torres, de janeiro a julho desse ano foram coletados mais de dois mil litros de leite nos seis bancos e nos 11 postos de coleta em todo o Estado – somente no mês de julho, foram 130 litros. Nesse período, 2,2 mil crianças foram alimentadas com os 1,6 mil litros de leite distribuídos na Paraíba.

Raquel Torres afirmou que, com o aumento no número de leitos, UTIs, berçários e do método mãe Canguru, a meta é aumentar este ano em 30% a quantidade de leite coletado em relação a 2010. Para isso, estão sendo inaugurados, durante esta semana, cinco postos de coletas nas cidades de Monteiro, Solânea, Santa Luzia, Itabaiana e Bonito de Santa Fé. Até o final do ano, a meta é inaugurar outros três postos de coleta nas cidades de Princesa Isabel, Picuí e Belém.

Ela explicou que o leite cru é armazenado em freezer ou congelador e tem prazo de validade de 15 dias, enquanto que o leite pasteurizado, pronto para ser consumido, tem validade de seis meses. Raquel Torres disse que o leite é transportado dos postos de coleta para os bancos em caixas térmicas refrigeradas e que a temperatura é avaliada constantemente durante o transporte.

Alimento completo – A nutricionista Izabel Pinto Cavalcanti, do Banco de Leite Drª Zilda Arns, explica que o leite materno é essencial para o crescimento e desenvolvimento do recém nascido. “O leite humano já é um produto pronto para ser consumido, livre de contaminantes e com todos os nutrientes necessários para o recém nascido”, disse.

Izabel Pinto falou também sobre a importância do leite conhecido como “colostro”, que é coletado até o 7º dia após o parto. De acordo com ela, o produto é rico em proteínas, vitaminas, possui fatores de defesa e é rico principalmente em gordura (lipossolúvel). Já o leite “maduro”, que é coletado 15 dia após o parto, é importante para o crescimento e
ganho de peso do recém nascido. Quanto à mãe, a nutricionista orienta que ela deve ter uma alimentação saudável, adequada e rica em proteínas, carboidratos e vitaminas.