João Pessoa
Feed de Notícias

População da Grande João Pessoa apoia campanha contra o tabagismo

quinta-feira, 15 de março de 2012 - 19:21 - Fotos:  Vanivaldo Ferreira/Secom-PB

Foto: Vanivaldo Ferreira/Secom-PB

A campanha contra o tabagismo promovida pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde e da Agência Estadual de Vigilçância  Sanitária (Agevisa), teve o apoio da população da Grande João Pessoa, que entendeu a mensagem relacionada aos perigos do consumo de produtos derivados do fumo e participou ativamente das atividades realizadas desde o início da semana na Capital paraibana.

O ponto alto da campanha foi a mobilização realizada na tarde desta quinta-feira (15) – Dia Estadual de Combate ao Fumo, no Busto de Tamandaré, em Tambaú. Em parceria com servidores da Secretaria Municipal de Saúde de João Pessoa e da Secretária de Estado da Educação, os técnicos da SES e da Agevisa prestaram esclarecimentos à população sobre os riscos do uso de produtos derivados do fumo.

Os trabalhos tiveram ainda a parceria de alunos e profissionais ligados à Faculdade de Enfermagem Nova Esperança (Facene), de João Pessoa, que ofereceram serviços de verificação da pressão arterial, de identificação do tipo sanguíneo e ainda de taxas de glicose, e fizeram uma exposição de pulmões infectados pela nicotina. O pessoal do Procon-JP, comandado pelo secretário executivo Sandro Targino, também se fez presente na mobilização, reforçando o alerta para os danos causados pelo fumo.

Segundo afirmou o diretor geral da Agevisa, Jailson Vilberto de Sousa e Silva, o tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como um problema de saúde pública global, e se constitui na segunda maior causa de mortes no mundo.

“O tabagismo é um problema de saúde pública que desencadeia e agrava condições de hipertensão e diabetes, aumentando também o risco de os usuários desenvolverem tuberculose, e por consequência, chegarem a perder a própria vida”, acrescentou a diretora técnica de Ciência e Tecnologia Médica e Correlatos da Agevisa, Helena Teixeira.

Semana de conscientização – As atividades da campanha contra o tabagismo começaram nesta semana em escolas da rede pública estadual e municipal de ensino sediadas em João Pessoa. O objetivo central foi formar multiplicadores da luta contra o tabagismo. Os trabalhos incluíram palestras sobre os danos à saúde causados pelo tabagismo, apresentação do vídeo “O Homem Giz”, que aborda, dentre outros assuntos, questões relacionadas à dependência do fumo, grafitagem abordando o tema tabagismo, e ainda atividades ligadas à dança, à música e ao teatro.

As atividades envolveram alunos do Instituto Estadual de Educação (IEP), da Escola Municipal Dumerval Trigueiro Mendes, do bairro do Rangel, dos colégios estaduais Alice Carneiro, no bairro de Manaíra, e Cônego Nicodemos Neves, na Cidade dos Funcionários I, e das escolas municipais Damásio Franca e Hugo Moura.

Palestra – Na manhã da quinta-feira, dia 15 de março, uma Mesa Redonda sobre o tema “Políticas Públicas para Enfrentamento do Tabagismo”, realizada a partir das 8h no auditório do Hotel Igatu, no bairro do Cabo Branco, em João Pessoa/PB, marcou o início das atividades no Dia Estadual de Combate ao Tabagismo.

Durante a palestra, a diretora técnica de Ciência e Tecnologia Médica e Correlatos da Agevisa, Helena Teixeira, informou sobre a decisão  da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de proibir o uso de aditivos nos cigarros  para estimular a adesão ao uso do produto. Ela disse que o tabagismo é considerado uma doença pediátrica, pois inicia-se, em média, aos 15 anos, e renovou o alerta às crianças e adolescentes para o fato de que a indústria do tabaco adiciona sabores agradáveis aos cigarros para atraí-los ao consumo, aumentando sua margem de lucro e, consequentemente, as mortes causadas pelo consumo do cigarro.

Ela acrescentou também que o doente crônico é valorizado com atendimento nas Unidades do Sistema Único de Saúde (SUS), devendo o fumante crônico procurar a unidade da saúde do SUS mais próxima de sua residência para receber tratamento, e lembrou que o tabagismo passivo é a terceira causa de morte evitável no mundo.