Fale Conosco

3 de janeiro de 2013

Polícias da Paraíba prendem mais de 500 pessoas nas operações em 2012



Operação PC, PM, MPE 14.09.2012 076Renascimento, Hidra, Palácio de Hades, Independência, Muralha, Gabarito e Esqueleto. Essas foram algumas das mais de 80 operações de médio e grande porte realizadas pelas polícias Civil e Militar da Paraíba em 2012. As ações, juntamente com o trabalho diário executado nos 223 municípios paraibanos, resultaram em mais de 500 prisões e na apreensão de quase 700 quilos de entorpecentes, entre maconha, crack e cocaína, além de veículos e máquinas caça-níqueis. Em 2011, foram cerca de 60 operações, uma média de quatro por mês, que resultaram na prisão de mais de 300 criminosos.

De acordo com o secretário executivo da Segurança e da Defesa Social (Seds), Jean Nunes, as operações deflagradas pelos órgãos operativos de segurança estadual seguiram o Plano Operacional traçado para o ano, cujo principal objetivo foi prevenir a violência e reduzir a criminalidade. “Executamos com sucesso as diretrizes da nossa gestão, que são baseadas na qualidade dos resultados, nas técnicas policiais e no atendimento ao cidadão. Também conseguimos construir uma boa articulação com o Poder Judiciário, Ministério Público, policias Federal e Rodoviária Federal, e polícias de outros Estados”, destacou o secretário.

O delegado Isaías Gualberto, Assessor de Ações Estratégicas da pasta, explica que as operações de médio e grande porte são ações diferenciadas, que demandam planejamento e empenho especiais das instituições, além do emprego de um maior número de efetivo. “No ano de 2011 tivemos mais de 60 operações desses tipos e em 2012 mais de 80. Isso dá uma média de mais de seis ações diferenciadas por mês, além das prisões e apreensões ordinárias, ou seja, realizadas todos os dias pelas polícias  Civil e Militar no exercício de suas atribuições preventiva, repressiva e investigativa, respectivamente”, detalhou Gualberto. Segundo ele, enquanto as operações da Polícia Civil demandam investigação, as da PM têm caráter preventivo.

Foto-Edvaldo-Malaquias-14Paralelamente às ações especiais, as polícias realizam operações de rotina, que contribuem para o resultado alcançado, como a ‘Autoria de Crimes Violentos Letais Intencionais’, cujo objetivo é a resolutividade de inquéritos policiais referentes a homicídios; ‘Malhas da Lei’, que busca o cumprimento de mandados de prisão em aberto; ‘Repressão ao crack’, dando prioridade a apreensão de drogas; ‘Saturação’, que visa a ocupação de áreas onde são detectados homicídios e tentativas de homicídio; e a ‘Divisa Segura’, a qual reforça a segurança nas divisas da Paraíba. Todas estão previstas no Plano Operacional da Seds e foram monitoradas semanalmente.

Ações estratégicas – Em 2012, ainda coube à Polícia Militar executar ações estratégicas em grandes eventos, a exemplo do que aconteceu nas operações Carrossel, que manteve a tranquilidade entre os dias 12 e 15 de dezembro, período que abrangeu os feriados do Dia das Crianças, da Padroeira do Brasil, dos Comerciários e Dia dos Professores; Eternidade, no dia de Finados, e Republicana, que reforçou o policiamento ostensivo no feriado de 15 de novembro. Durante o ano ainda houve a operação Nômade, ação contínua com objetivo de saturar o policiamento em bairros da grande João Pessoa e de Campina Grande, e Presença, que manteve policiais militares de prontidão em pontos estratégicos, com maior incidência de crimes.

 

Confira algumas operações de destaque em 2012:

06.07.12 operacao_nomadeJaneiro – Entre as operações relevantes ocorridas em janeiro de 2012 estão a Resgate, na qual militares e civis prenderam 26 pessoas acusadas de homicídios na região de Catolé do Rocha; e a Copacabana, na qual uma quadrilha acusada de clonar cartões foi presa na Capital, graças ao trabalho investigativo das delegacias de Defraudações e Roubos e Furtos de Veículos e Cargas.

Fevereiro – Renascimento foi o nome da ação que combateu o tráfico no bairro do São José, em João Pessoa, e resultou na prisão de oito pessoas e na apreensão de dois adolescentes no mês de fevereiro. Também nesse mês foram destaque as ações denominadas Carcará, que prendeu um policial militar acusado de matar gays, lésbicas e prostitutas em Patos, e Força Grega, na qual 20 pessoas foram presas por policiais civis e militares sob a acusação de cometer vários crimes na cidade.

Março – O mês foi marcado pela Operação Hidra, quando policiais civis e militares cumpriram 22 mandados de prisão em todo o Estado e em Pernambuco, desarticulando uma quadrilha de tráfico de drogas comandada por presidiários do Presídio Romero Nóbrega, em Patos. Entre os presos estavam funcionários do Sistema Penitenciário.

Abril – Em Campina Grande, foram apreendidas 50 máquinas caça-níqueis pela Polícia Civil na Operação Xeque-Mate. Outro destaque na cidade foi a operação Palácio de Hades, na qual as polícias estaduais, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), prenderam um grupo de nove pessoas acusado de pelo menos 12 homicídios.

Já a Operação Escudo foi executada pelas polícias Civil e Militar, com apoio da Polícia Federal nas cidades de Princesa Isabel (PB) e Arcoverde (PE) e rendeu a apreensão de 10 quilos de crack e prisão de cinco pessoas.

Maio – Foram desencadeadas entre outras as ações Asilo Inviolável, em Campina Grande, Mina de Prata, em João Pessoa, com a prisão de quatro pessoas e apreensão de 50 máquinas caça-níqueis, no bairro do Altiplano.

Junho – O mês foi marcado pela ação de nome Gabarito, que investigou fraudes em concursos públicos realizados em cidades paraibanas. A ação foi realizada pela Polícia Civil, Controladoria Geral da União e Ministério Público. Também em junho, a Operação Muralha, da Polícia Militar, apreendeu 40 quilos de maconha no Cariri e no Sertão.

Julho – A Polícia Civil, com auxílio da PRF, apreendeu uma carga de acessórios para veículos roubados em João Pessoa, durante a ação denominada Intrujão.

Operação PC, PM, MPE 14.09.2012 016Agosto e setembro – Os destaques foram a operações Eclipse, que prendeu 10 integrantes de grupos rivais existentes em Pilar e São Miguel; e Liberdade, que até dezembro contabilizou mais de 23 prisões e mais de 100 quilos de maconha apreendidos no bairro do Renascer em João Pessoa.

Na operação Independência, policiais civis e militares prenderam acusados de homicídios na região de Mari, entre eles um homem apontado como autor de pelo menos 36 homicídios na cidade. Já na ação de batizada de Esqueleto, a Polícia Civil prendeu 42 pessoas acusadas de integrar um grupo criminoso responsável por homicídios e tráfico na região metropolitana de João Pessoa.

Outubro – Outubro teve a ação de nome Cassino, na qual foram apreendidas 47 máquinas caça-níqueis no bairro de Manaíra, Capital. Em novembro, a Operação Pinguim prendeu oito pessoas em Cajazeiras, e a Mangue Seco resultou na prisão de sete pessoas e apreensão de armas em Pitimbu, Litoral Sul do Estado.

Dezembro – Na operação Abadir o Grupo de Operações Especiais (GOE) Polícia Civil prendeu 10 pessoas acusadas de comandar o tráfico de drogas e homicídios de dentro dos presídios do Róger e Sílvio Porto, Capital. Entre os dias 30 de novembro e 8 de dezembro, só em João Pessoa, as polícias Civil e Militar apreenderam 27 quilos de maconha, 21 de crack e nove quilos de cocaína. Quatro homens e uma mulher ainda foram presos na Operação Sulanca, que desarticulou uma quadrilha especializada em assaltos a sacoleiros que iam da Paraíba para as cidades de Toritama, Caruaru e Santa Cruz do Capibaribe.