João Pessoa
Feed de Notícias

Polícia prende africanos acusados de aplicar o golpe do ‘dólar preto’

terça-feira, 23 de março de 2010 - 13:56 - Fotos: 
Uma operação conjunta envolvendo o Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil (GOE) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF), na manhã desta terça-feira (23), no bairro do Cabo Branco, em João Pessoa, resultou na prisão, em flagrante, de dois africanos da Costa do Marfim, acusados de negociar dinheiro falso.  O delegado do GOE, Wallber Virgolino, disse que  as investigações terão continuidade para saber se há mais gente envolvida.

Segundo Wallber Virgolino, a prisão dos envolvidos foi através de informações de que a dupla estaria na Paraíba tentando aplicar o golpe do ‘dólar preto’, que consiste em um monte de papel cortados em formato de cédulas e pintados com uma tinta escura.  “Eles alegavam que tinham um parente que trabalhava em uma ONG responsável por apresentar projetos de ajuda a africanos e que recebia dinheiro da ONU. Depois, segundo eles, a referida ONG desviava o dinheiro. Então, eles entraram no Brasil, se passando por franceses, para lavar o dinheiro sujo e mandar de volta para África”, explicou Virgolino.

Ainda segundo o delegado Wallber, o golpe vinha sendo aplicado em outros estados, entre eles, Paraná e São Paulo. A vítima comprava os dólares falsos por R$ 40 mil, com a promessa de receber um percentual maior em dinheiro após a ‘transformação das cédulas’, que diziam ser de verdade. “Os golpistas ainda cobravam para comprar o líquido que iria supostamente transformar os dólares", disse o delegado. No final, as vítimas ficavam com o prejuízo quando descobriam que as notas não passavam de papel sem nenhum valor.

Com os africanos Karamoko Aime Malet, de 31 anos e Pempeme Ouramov, de 29 anos, foram apreendidos dois milhões em dólares falsos, líquido para 'transformar as notas' e um pó branco, que ainda será analisado pela perícia.

Eles foram encaminhados à sede do GOE, na Secretaria da Segurança e da Defesa Social, e autuados por estelionato e falsa identidade. Ainda nesta terça-feira (23) serão transferidos para Central de Polícia.  “Continuamos as investigações para saber se existe mais gente envolvida”, disse Wallber Virgolino.

Sérgio Veloso, da Assessoria de Imprensa da Segurança e da Defesa Social