Fale Conosco

2 de dezembro de 2011

Polícia descobre esquema e flagra entrega de material do Governo em sucata do Distrito Industrial



O Serviço de Inteligência da Polícia Militar da Paraíba descobriu um esquema de comercialização de produtos pertencentes ao Estado que envolve funcionários da Secretaria de Educação e Cultura e alguns receptadores que estariam praticando crimes contra o Estado, notadamente de peculato, receptação e furto.

Na tarde desta quinta-feira (1º), policiais civis e militares flagraram a entrega de parte do material na Sucata do Brandão, localizada no Distrito Industrial de João Pessoa, onde já havia uma grande quantidade de gabinetes de computadores, monitores, impressoras, geladeiras, máquinas de lavar, copiadoras, armários, cadeiras, birôs, máquinas de datilografias e outros produtos, muitos deles contendo ainda plaquetas de tombamento que comprovam a propriedade dos mesmos.

O material “entregue” nesta quinta-feira foi transportado no caminhão baú MMY 5881, de propriedade da Secretaria da Educação, conduzido pelo motorista José Claudiano Ferreira, de 47 anos, que presta serviços ao Estado há 26 anos, segundo confirmação do mesmo. No momento do flagrante, os policiais, que eram comandados pelo tenente-coronel PM Adielson Pereira, detiveram o funcionário da sucata e o motorista, e comunicaram o fato ao delegado Roberto Jorge de Sousa.

Após as primeiras diligências no local, os policiais conduziram o motorista Claudiano, o chefe do Almoxarifado da SEC, de nome Gilberto, o proprietário da sucata e o funcionário que foi flagrado recebendo o material para a primeira Delegacia Distrital, localizada no bairro de Cruz das Armas, para tomar seus depoimentos.

Ainda no local do flagrante, o delegado Roberto Jorge disse ter sido comunicado do fato pela delegada Daniela Vicuuna, gerente da Polícia Civil Metropolitana, e solicitou a realização da perícia, que deve ter continuidade ainda nesta sexta-feira (2). “Feito o primeiro levantamento, foi encontrado muito material usado, talvez dentre ele alguma coisa nova, de maneira que terá que ser realizada uma perícia minuciosa, que terá continuidade nesta sexta-feira”, ressaltou.

Conforme o delegado, pelas investigações preliminares que vêm sendo realizadas e pelo que foi encontrado na Sucata do Brandão, em tese os crimes praticados são de peculato, receptação e furto que estariam sendo praticados com a conivência de servidores da Secretaria de Educação.

Pelas características do material encontrado na Sucata do Brandão, uma grande parte ainda dentro do caminhão de propriedade do Estado, Roberto Jorge disse haver a possibilidade de crime continuado. “Existem muitos móveis usados. Acredito que dentre esses móveis talvez haja também alguma coisa nova; talvez eles façam uma seleção. Enfim, o material está no Sucatão do Brandão, como é mais conhecido, e todo esse grupo terá que responder criminalmente”, observou.

Ainda segundo o delegado, os funcionários envolvidos deverão responder especialmente por peculato. Quanto ao proprietário do sucatão, este deverá responder por receptação. “Muitas das peças que foram e estavam sendo descarregadas estavam inclusive com os números de tombamento. Eles não tiveram o cuidado nem pelo menos a curiosidade de descartar esse tombamento, o que, logo de cara, demonstra ser um ‘crime seboso’. Mas nós estamos lavrando o flagrante delito para que nesta sexta-feira eles já estejam à disposição da Justiça”, acrescentou.

Investigação – Segundo informou o tenente-coronel Adielson Pereira, comandante do Batalhão de Polícia Ambiental da Paraíba, as investigações começaram há aproximadamente 20 dias, e os trabalhos continuam sendo realizados para que se possa chegar a outras pessoas que possivelmente estejam envolvidas.

“Após as primeiras denúncias, a Polícia Ambiental caiu em campo e, na tarde desta quinta-feira, conseguiu flagrar a entrega desse material que estava sendo furtado da Secretaria da Educação. Nós vamos aprofundar as investigações, mas já temos uma pessoa conhecida como Gilberto, da Secretaria da Educação, o proprietário do estabelecimento (Sucatão do Brandão) e o motorista”, ressaltou.