Fale Conosco

20 de agosto de 2012

Polícia desarticula grupo acusado de comandar tráfico de drogas no Brejo paraibano



operação dre agosto 20 kg maconhaDurante operação realizada na tarde de quinta-feira (16), policiais da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Capital prenderam seis pessoas e apreenderam quatro adolescentes acusados de integrar um grupo que comandava o tráfico de drogas na região do Brejo paraibano.

 

O trabalho investigativo da Polícia Civil realizado ao longo de dois meses resultou também na apreensão de mais de 20 quilos de maconha, um revólver calibre 38, munição de diversos calibres e mais de R$ 10 mil reais em dinheiro e cheques. Dois veículos e um computador também foram apreendidos.

 

A ação começou na entrada da cidade de Guarabira, quando a polícia flagrou um dos presos em um táxi, com parte da droga apreendida escondida no veículo. Dando continuidade às diligências, a polícia encontrou droga em um frigorífico pertencente ao pai de um dos acusados e em uma boca de fumo na cidade de Itapororoca.

 

“Nós já vínhamos investigando a ação desses criminosos e conseguimos monitorar toda a negociação até a aquisição do produto. Ontem, abordamos o veículo na entrada da cidade, efetuando o flagrante. Desencadeamos a operação e prendemos outros associados que tinham funções específicas no tráfico, como arrecadação nas bocas de fumo, compra e venda, e movimentação financeira”, afirmou o delegado titular da DRE, Allan Murilo Terruel, que coordenou a ação.

 

Entre os presos estão duas mulheres, que segundo a polícia atuavam no grupo cuidando da movimentação financeira do tráfico e lavagem de dinheiro. De acordo com o delegado, o grupo também recebia orientações de traficantes presos, de dentro de presídios, um deles conhecido como Damião do Araçagi, que foi transferido recentemente para a Penitenciária Federal de Mossoró.

 

De acordo com o delegado, as investigações vão continuar visando a repressão ao tráfico de drogas e a consequente redução da criminalidade no Estado. “Vamos dar continuidade a esse trabalho, mas temos certeza de que o processo de transferência de presos associado à prisão desses líderes ao longo das inúmeras operações que vem sendo realizadas pela polícia desestabilizaram por completo a realidade do tráfico de drogas da Capital e região brejeira”, assegurou.

 

Os presos foram autuados por tráfico de drogas e associação ao tráfico e podem responder por lavagem de dinheiro. Já os adolescentes foram encaminhados ao Ministério Público.