Fale Conosco

10 de julho de 2012

Polícia Civil prende líder de perigosa quadrilha de assaltantes em Pernambuco



A equipe de policiais civis da Delegacia de Roubos e Furtos de Campina Grande, sob o comando dos delegados Henri Fábio e Glauber Fontes, capturou, neste final de semana, Dyllian Muniz de Queiroz, 36 anos, o “Dilha” ou “Monstro”, líder de uma perigosa quadrilha de assaltantes de estabelecimentos de crédito. A captura aconteceu na cidade pernambucana de Petrolina, onde ele residia.

Durante a apresentação do preso, na sede da 2ª Delegacia Regional de Polícia Civil, o delegado geral Severiano Pedro do Nascimento Filho elogiou a ação dos policiais, lembrando que, para conseguir o êxito na operação, eles ficaram durante três dias em campana na cidade pernambucana.

Severiano Pedro destacou ainda que as investigações demandaram quatro meses e que a ação foi de grande importância, considerando se tratar de um assaltante de alta periculosidade, com atuação em todo o Nordeste e outros estados brasileiros.

O delegado regional de Polícia Civil de Campina Grande, André Rabelo, agradeceu o trabalho da equipe da DRF, lembrando que a meta é continuar o combate à criminalidade e nãopermitir que aconteça na Paraíba o que ocorre em outros estados. “Nós pedimos a compreensão de todos, porque esse tipo de operação demanda tempo. Mas com o trabalho de Inteligência de nossos policiais, estamos desarticulando quadrilhas, elucidando crimes, e, dessa forma, reduzindo os índices de delitos”, disse.

Em depoimento na Central de Polícia, Dyllian confessou ter assaltado, junto com outros comparsas, a Lotérica do Shopping Boullevard, a agência do Unicred, em Campina Grande, e o Banco do Brasil de Aroeiras. Ele assumiu também os disparos contra uma viatura da Polícia Civil, quando um policial saiu ferido. O “Monstro” ainda assume a prática de pelo menos 20 assaltos a instituições de crédito.

Natural de Campina Grande, o “Monstro”, como prefere ser chamado, responde a vários crimes em diferentes estados. Ele já foi preso pelo menos seis vezes, cumpriu pena de dez anos e é condenado a quase 40 anos.

O histórico criminal de Dyllian, de acordo com levantamentos da Polícia, registra, somente em 2001, um processo por assalto a um posto de atendimento do antigo Paraiban, em João Pessoa; processo por tráfico de drogas e formação de quadrilhas e assalto em Campina Grande. Em 2002, foi preso na BR-230 transportando armas e munições. No ano de 2003, capturado pela prática de crime de estelionato, em Alagoas, e assalto e formação de quadrilha em Cabedelo, na Paraíba. Ele ainda responde por tráfico de drogas em Goiás e pelo sequestro de um oficial da Polícia Militar, quando invadiu o quartel de Salgueiro (PE), de onde roubou 58 armas, incluindo fuzis, pistolas e metralhadoras.

Na cidade de Petrolina, Dyllian se passava por um sucedido empresário, inclusive com cartões de crédito sem limites para suas transações comerciais. Para realizar seus negócios e lavagem de dinheiro, usava a empresa de operações de crédito BKM Queiroz Factoring Ltda, com um faturamento anual superior a R$ 500 mil.