Fale Conosco

25 de outubro de 2012

Polícia Civil desvenda morte de mulheres em Sapé e apreende quatro adolescentes



A Polícia Civil da Paraíba identificou todos os envolvidos no assassinato das duas mulheres, cujos corpos foram encontrados no final da tarde de segunda-feira (15), na cidade de Sapé, na Zona da Mata paraibana. Quatro adolescentes foram apreendidos e confessaram a participação no crime.

Os detalhes da investigação foram divulgados na manhã desta quarta-feira (24), durante uma entrevista coletiva na sede da Secretaria de Segurança, em Mangabeira. Segundo a polícia, o mandante dos homicídios é um presidiário que está recolhido em uma das penitenciárias da Capital, que não teve o nome revelado. Já o autor dos disparos foi identificado como Jeferson Bruno, de 26 anos, que está foragido.

Nove adolescentes com idades entre 13 e 17 anos também tiveram participação no crime. Três deles foram apreendidos em Mamangape e um em Juarez Távora. Segundo levantamento da polícia, eles colaboraram no crime atraindo a vítima para o local da execução.  “Eles simularam uma festa, um banho de açude, criando uma situação para atrair as jovens para a morte. Dos nove adolescentes, três eram meninas e todos tinham conhecimento de que as vítimas seriam assassinadas”, explicou o delegado Norival Portela, titular da Delegacia de Sapé e designado em caráter especial para apurar o caso.

Motivação– De acordo com a polícia, o tráfico de drogas foi a principal motivação das mortes.  “As duas jovens atuavam no tráfico como mulas, levando drogas da Capital para Sapé e foram executadas porque estariam desviando entorpecente. Além disso, a vítima que estava grávida foi assassinada por ciúmes, pois estaria traindo seu namorado, o mandante do crime”, afirmou o delegado.

Além do trabalho de inteligência e informações recebidas pelo disque denúncia, a polícia encontrou no bolso de uma das vítimas dois cartões de memória contendo fotos e arquivos de áudio que comprovaram o envolvimento das jovens no tráfico de entorpecentes.

“Essas imagens colaboraram para a investigação, mas a integração das polícias Civil e Militar e a participação da sociedade pelo disque denúncia 197 foi fundamental. Agora, vamos dar continuidade ao trabalho para localizar e prender os demais envolvidos no crime”, acrescentou o delegado geral adjunto, André Rabelo.

Norival Portela destacou o trabalho desenvolvido pela equipe de investigação e reforçou o pedido à população para que continue colaborando com a polícia por meio do disque denúncia.  “Contamos com o empenho de toda a equipe que se dedicou para a elucidação desse crime e esperamos contar com a população para localizar todos os envolvidos no assassinato”, concluiu.

O Crime – Ana Priscila Galdino da Silva e Martina Faustino dos Santos foram mortas com disparos de arma de fogo, no final da manhã de segunda-feira (15), e os corpos foram encontrados algumas horas depois em um canavial próximo à localidade conhecida como Açude do Mato, na cidade de Sapé. Segundo a polícia, as vítimas não sofreram agressões, nem violência sexual antes de serem assassinadas.