Fale Conosco

3 de fevereiro de 2012

Polícia Civil conclui inquérito sobre morte dos finlandeses e pede prisão preventiva dos acusados



A Polícia Civil da Paraíba concluiu o inquérito sobre o assassinato dos finlandeses Pasi Kalervo Kaartinem, 71 anos, Riitta Marjatta Kaartinem, 69, e Sirpa Helena Tihonen, 60, encontrados mortos no dia 2 de janeiro em um canavial localizado no município de Pitimbu, Litoral Sul da Paraíba. O relatório foi encaminhado ao Fórum de Caaporã, nesta quinta-feira (2), pelo delegado titular do Grupo de Operações Especiais (GOE), Rodolfo Santa Cruz. O mecânico Constantino Alexandre da Silva, 58 anos, e o comerciante Francisco das Chagas Vasconcelos (o Vasco), 51, foram indiciados por triplo homicídio duplamente qualificado com ocultação de cadáver.

No inquérito, o delegado pede, com urgência, a conversão da prisão temporária dos indiciados em prisão preventiva e que eles sejam recolhidos na Cadeia Pública de Alhandra. De acordo com o delegado, durante os dois meses de investigação, a Polícia Civil concluiu a autoria do crime através de depoimentos, relatórios, vestígios e provas técnico-periciais. “Os indiciados negam a autoria do crime, mas reconhecem que foram os responsáveis pela ocultação do cadáver. O Vasco diz que o autor do crime é Constantino, mas este nega”, comentou Rodolfo Santa Cruz.

Em seu texto de conclusão, o delegado explica que o trabalho da perícia revelou que os finlandeses foram mortos no dia 30 de novembro do ano passado, na residência do casal Pasi e Riita Kaartinem, localizada na Praia de Jacumã. Após cometerem o crime, os indiciados teriam transportado os corpos em um jeep Land Rover para o município de Pitimbu.”Usando o luminol, os peritos encontraram sangue das vítimas na residência do casal de finlandeses e também no veículo Land Rover”, detalhou o delegado do GOE. Em seu relatório, Rodolfo Santa Cruz enfatiza, ainda, que os finlandeses foram mortos com disparos de arma de fogo e sem qualquer oportunidade de defesa, o que torna o crime ainda mais cruel.

De acordo com as investigações, os finlandeses teriam sido mortos por motivos patrimoniais. Com o crime, os dois indiciados estariam pretendendo se apropriar dos bens que o casal de finlandeses possuía na Paraíba, a exemplo da casa em Jacumã e de terrenos. Pasi e Riita Kaartinem visitavam a Paraíba há cerca de seis anos durante o verão, fugindo do inverno europeu. Ao lado da amiga Sirpa Helena, eles teriam desembarcado no Estado no começo do mês de novembro para mais um período de veraneio.