Fale Conosco

10 de fevereiro de 2015

Polícia Ambiental apreende mais de 5 mil caranguejos-uçá capturados ilegalmente



Policiais do Batalhão de Policiamento Ambiental (BPAmb) apreenderam 5.388 caranguejos-uçá em ações para cumprir Instrução Normativa do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama), que proíbe a captura do crustáceo durante a “andada”, período em que machos e fêmeas saem das galerias para acasalamento e liberação de ovos. O balanço foi divulgado nesta terça-feira (10). As ações aconteceram em áreas de mangue da Região Metropolitana de João Pessoa, como as cidades de Cabedelo e Bayeux.

De acordo com o comandante do BPAmb, major Tibério Leite, as apreensões em áreas de mangue impedem que o comércio ilegal do crustáceo seja realizado durante o defeso. “Essas capturas foram resultado de operações feitas, via terrestre e aquática, em três períodos em que a captura e a comercialização desse tipo de caranguejo estão proibidas: de 6 a 11 e de 21 a 26 de janeiro; e de 4 a 9 de fevereiro”, esclareceu. “Teremos mais três períodos de proibição pela frente: de 19 a 24 de fevereiro; de 6 a 11 e de 21 a 26 de março”, completou.

O secretário executivo do Meio Ambiente, Fabiano Lucena, destacou a importância da operação e alertou que quem for pego vendendo ou mesmo comprando caranguejo-uçá em períodos de proibição e não apresentar a declaração de estoque, requerida no Ibama, pode pagar multa que varia de R$ 700 a R$ 100 mil. Já no âmbito penal, o infrator poderá pegar de um ano a três anos de detenção.

De acordo com o tenente Wellington Aragão, chefe do setor de Planejamento Estratégico do Batalhão Ambiental, o efetivo do órgão tem a responsabilidade de fiscalizar, em todo o estado, a instrução normativa. “A atenção para o meio ambiente como um todo, inclusive para os nossos mangues, está voltada durante todo o ano. Porém, nesses períodos, intensificamos ainda mais as ações e montamos equipes específicas para coibir a captura do caranguejo-uçá durante a reprodução da espécie”, explicou.

Além da Paraíba, estão incluídos na Instrução Normativa do Ibama os estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Alagoas, Sergipe, Bahia, Piauí, Ceará e Maranhão, no Nordeste; e o Pará, no Norte do País.