João Pessoa
Feed de Notícias

Poeta de 17 anos lança livro na Fundação Casa de José Américo

terça-feira, 5 de junho de 2012 - 07:54 - Fotos:  FCJA

Francisco Carneiro Júnior despertou para o mundo da literatura e pintura ainda na infância. Nessa época, já gostava de ler, viajar e conhecer museus, além do hobby de andar a cavalo. Atualmente, aos 17 anos de idade, decidiu reunir seus poemas e lançar o primeiro livro “Reflexos Poéticos”, além de exposição de telas pintadas por ele. Os trabalhos podem ser conferidos nesta terça-feira (5), às 18h30, na Fundação Casa de José Américo, órgão vinculado à Secretaria de Estado da Cultura.

Com arte da capa assinada pelo autor, o livro tem 118 páginas, reunindo 49 sonetos e 41 poemas de versos livres. A publicação traz orelhas escritas pelo artista plástico Flávio Tavares, que contribuiu ainda com quatro ilustrações artísticas distribuídas no livro. “Júnior caminha pela escuridão das paixões, dos sentimentos, do existencialismo, em busca da razão de viver. Essa geografia interior, esse mundo em seus poemas são ‘desenhados’ por linhas e razões emotivas que vão clarear com paixão as razões da existência”, comenta Flávio Tavares.

Francisco Júnior revela que recebeu influências de Augusto dos Anjos na literatura. O prefácio foi escrito pelo historiador Joaquim Osterne Carneiro, presidente do Instituto Histórico e Geográfico da Paraíba e avô paterno do autor. “A primeira parte da obra é constituída de uma poética que chama atenção não somente pela metrificação dos versos, mas igualmente pela profundidade dos assuntos abordados para um jovem de sua idade, que ocupam lugar de destaque em suas rimas”, destaca Osterne ao apresentar o livro.

“Júnior nos apresenta poemas que podem se enquadrar no denominado modernismo brasileiro, cujos versos bem concatenados e bem estruturados demonstram a grande sensibilidade do jovem autor, que a partir deste trabalho se inscreve definitivamente entre os paraibanos de maior expressão e possivelmente alcançará lugar de destaque na literatura de nossa terra”, completa o historiador.

Francisco se diz apaixonado pela literatura, justificando que é uma forma de estar conectado com reflexões importantes para o dia-a-dia. Considera que este é um caminho válido a ser introduzido pelos jovens. Tanto que ainda sequer lançou o primeiro livro, mas já tem crônicas e contos guardados e pretende lançar o próximo livro no estilo romance.

A Fundação Casa de José Américo fica na orla do Cabo Branco, nº 3336.