Fale Conosco

23 de setembro de 2016

Plano de Desenvolvimento dos Arranjos Produtivos Locais terá apoio da Sudene



O Plano de Desenvolvimento Econômico e Social Sustentável para Arranjos Produtivos Locais do Estado da Paraíba (Plades) receberá o apoio da Superintendência Regional de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). O apoio ao Plades entrará na pauta da próxima reunião do Conselho Deliberativo (Condel), órgão máximo de articulações e decisões estratégicas da Sudene. O Plades, inclusive, poderá ser usado pela Sudene como modelo para a execução do Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste.

Outro avanço importante de reconhecimento do Plano de Desenvolvimento da Paraíba ocorreu após a realização do seminário “O Futuro do Desenvolvimento: O Brasil, o Nordeste e a Estratégia de Arranjos Produtivos Locais”, com a assinatura de uma carta de intenções entre o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico, Banco do Nordeste e a Sudene.

Marília Araújo, coordenadora administrativa do Plades, comemorou o apoio da Sudene ao Plano de Desenvolvimento da Paraíba. “Com o Plades na pauta da próxima reunião do Condel significa dizer que demos um passo muito importante. O Plades passa do nível de discussões técnicas, da coordenação que vem acompanhando a execução do Plano, para a Superintendência de Desenvolvimento Regional do Nordeste como um todo”, afirmou.

Ela destacou que técnicos da Sudene manifestaram a intenção de adotar o modelo do Plades para elaborar o Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste. “Durante a elaboração desse acordo de cooperação para o apoio da Sudene, há discussões para que esse plano – o Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste – seja executado tendo como espelho o Plades, juntamente com uma rede de universidades liderada pela UFPB”, disse.

“Os técnicos da Sudene já estão conversando com suas diretorias, desejo que vem sendo defendido por meio de notas técnicas junto às diretorias”, prosseguiu Marília Araújo.   

Condel – O Condel é o órgão máximo de articulação e decisões estratégicas da Sudene, responsável, além de outras atribuições, pelo estabelecimento de diretrizes e prioridades para o desenvolvimento de sua área de atuação, bem como para operacionalização dos demais instrumentos de ação da Autarquia, especialmente do FNE, FDNE e Incentivos Fiscais e Financeiros Federais.

Cabe também ao Conselho Deliberativo dar a chancela político-institucional ao processo de elaboração, implementação, acompanhamento e avaliação do PDNE e encaminhar propostas concernentes à regionalização, aperfeiçoamento, adaptação ou complementação dos programas e políticas públicas relevantes para o desenvolvimento regional sustentável.

O Conselho Deliberativo da Sudene é integrado pelo Presidente da República na condição de presidente de reuniões especiais, por 9 Ministros de Estado, pelos 11 Governadores dos Estados da área de atuação da Sudene, por três prefeitos da Região indicados pela Associação Brasileira dos Municípios, por três representantes da classe empresarial indicados, respectivamente, pelas Confederações Nacionais da Agricultura, Comércio e Indústria, por três representantes da classe dos trabalhadores indicados, respectivamente, pelas Confederações Nacionais dos Trabalhadores na Agricultura, no Comércio e na Indústria, pelo Superintendente da Sudene e pelo Presidente do Banco do Nordeste do Brasil S/A – BNB.