João Pessoa
Feed de Notícias

Japoneses conhecem atendimento a crianças com microcefalia na PB

quinta-feira, 10 de março de 2016 - 17:31 - Fotos: 

A Paraíba recebeu nesta quinta-feira (10) a visita de pesquisadores do National Institute of Infectious Diseases, do Japão, além de técnicos do Ministério da Saúde daquele país. Os pesquisadores e técnicos japoneses, na companhia da secretária de Estado da Saúde, Roberta Abath, e da coordenadora da Rede de Cardiologia Pediátrica da Paraíba, Sandra Mattos, visitaram a Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência (Funad), com o objetivo de conhecer o trabalho ali realizado no atendimento às crianças com microcefalia.

A equipe, composta por virologistas, pediatras e etimologistas, acompanhou de perto o trabalho de estimulação realizado pela fundação, e puderam observar o rendimento à pequena Vitória, de apenas dois meses de vida. A mãe, a pedagoga Camila Santino, falou um pouco sobre o acolhimento: “O atendimento aqui é excelente. Aonde chegamos temos apoio. Com esse acompanhamento eu sinto que minha filha está sendo bem cuidada e já percebo avanços nela, o que renova minhas esperanças e me faz querer lutar sempre pela felicidade da minha filha”. Ela lembrou que aguarda o resultado do exame de sangue para confirmar se teve zika durante a gestação.

Há 24 anos trabalhando na Funad, a fisioterapeuta Aglaure Corrêa Martins disse que esse aumento excessivo no número de crianças com microcefalia foi uma surpresa, porém a fundação estava preparada e de braços abertos para recebê-las. “Creio que esse aumento expressivo no número de casos não era esperado por ninguém. Não esperávamos tantos bebês com microcefalia chegando pra gente. Já estávamos trabalhando com estimulação precoce da visão, audição, tato e padrões motores há muitos anos. Aqui, além do trabalho com as crianças, conversamos, incentivamos as mães, dando força e frisando que a nossa meta é melhorar a qualidade de vida dos bebês”, explicou.

O diretor técnico da Maternidade Frei Damião, Bruno Leandro de Souza, ressaltou que a Paraíba vem sendo destaque internacional desde 2011, com a parceria com a Rede de Cardiologia Pediátrica e Perinatologia da Paraíba. “A Paraíba chama a atenção por ser organizada antes mesmo do surgimento desses surtos. Com os dados que temos desde 2011 fica muito mais fácil de fazer qualquer tipo de trabalho para entender se esse surto de microcefalia é relacionado somente ao vírus zika, e se for, qual o tipo de mosquito que vive na região, o tipo de ambiente em relação à temperatura, metais, radiação, enfim, que tipo de situação existe aqui que diferencia de outras regiões. É importante frisar que não há motivo para pânico da população, pois o Governo do Estado está tomando as medidas necessárias para cuidar das nossas crianças. Já fazemos todo um fluxo de acompanhamento de pré-natal, acompanhamento de andamento dessas crianças e segmentos delas em reabilitação”, esclareceu Bruno.

A secretária de Saúde da Paraíba, Roberta Abath, explicou que a equipe japonesa atua na área da etimologia, ou seja, do comportamento do mosquito, e ressaltou a importância de ajuda internacional e do combate ao vetor. “Toda pesquisa a respeito de um problema que culminou um decreto de emergência internacional, toda ajuda que venha, seja na pesquisa, na parte de assistência, de governos, parceria e termo de cooperação, será necessária e bem vinda. Devemos lembrar que se nós combatemos o mosquito, causador não somente da zika, mas da dengue e chikungunya, nós estaremos erradicando as consequências”, disse Roberta Abath.

A coordenadora da Rede de Cardiologia Pediátrica da Paraíba, Sandra Mattos, informou que, por este ser apenas um primeiro contato com o trabalho realizado no estado, o grupo japonês prefere não se pronunciar. Segundo Sandra Mattos, os japoneses ficaram muito felizes com o que encontraram. “O grupo ficou muito impressionado, conversamos independente de dados, e uma das coisas que eu percebi é que eles ficaram impressionados com o próprio sistema que existe, e na verdade eu também fiquei, pois não conhecia esse trabalho e quero parabenizar mais uma vez o Governo da Paraíba, pois é muito bonito e gratificante ver esse cuidado com as crianças, essa busca por sempre ir além nos serviços”, disse Sandra.

Após se reunirem com a secretária de Estado da Saúde e a coordenadora da Rede de Cardiologia Pediátrica da Paraíba, os pesquisadores e técnicos japoneses seguiram para Recife, para participar de reunião na Embaixada do Japão.