Fale Conosco

10 de junho de 2014

Pesquisa avaliará qualidade da água dos açudes Boqueirão e Acauã



Pesquisadores da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) estão analisando a qualidade da água dos açudes Epitácio Pessoa (Boqueirão) e Argemiro de Figueiredo (Acauã). O objetivo é investigar a ocorrência de contaminantes emergentes (ingredientes ativos de agrotóxicos) nas águas superficiais dos açudes, na sub-bacia do médio curso do Rio Paraíba, como contribuição para as ações de vigilância da qualidade da água.

Serão analisadas amostras de águas brutas, dos reservatórios Boqueirão e Acauã, e potabilizadas nas Estações de Tratamento de Água de Gravatá, Queimadas e Itatuba, além de amostras de águas residuárias afluentes (esgoto bruto) e efluentes da Estação de Tratamento de Esgotos de Campina Grande, principal aglomerado urbano da sub-bacia do médio curso do Rio Paraíba.

A pesquisa está inserida no Programa Pesquisa para o SUS: Gestão Compartilhada em Saúde – PPSUS, uma iniciativa de descentralização do fomento à pesquisa em saúde do Governo Federal em parceria com o Governo do Estado da Paraíba, por meio da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba (Fapesq), que prioriza a gestão compartilhada de ações. O objetivo primordial do Programa é financiar pesquisas em temas prioritários de saúde, capazes de dar resposta aos principais problemas de saúde da população que necessitam do conhecimento científico para sua resolução.

A pesquisa terá duração de 24 meses e a amostragem será avaliada pelos pesquisadores ao longo de 12 primeiros meses devendo ser obtidos dados de indicadores, por período (estiagem e chuvas) desse ciclo. Nas estações de tratamento de água, serão analisados os indicadores de agrotóxicos e  hormônios, enquanto na estação de tratamento de esgotos serão analisados somente os hormônios. A análise será feita com a utilização de um cromatógrafo líquido de alta eficiência (UHPLC com detector de fluorescência e UV-VIS), amostrador automático e coletor de fração.

De acordo com o coordenador da pesquisa, professor Rui de Oliveira, os resultados da investigação contribuirão com a autoridade de vigilância na proposição de medidas de controle da qualidade da água tratada, emprego de tecnologias mais avançadas de tratamento de águas, de abastecimento e das águas residuárias, bem como medidas de proteção dos mananciais, tendo em vista a segurança da água para a população.

Além disso, o projeto encontrará aplicação no desenvolvimento de sistemas sentinelas para a prevenção de danos à saúde e ao meio ambiente, no âmbito do SUS. A pesquisa também contribuirá para a formação de recursos humanos especializados nos níveis de graduação e pós-graduação dos cursos mantidos pelas instituições envolvidas o que terá uma grande repercussão no desenvolvimento da Região Nordeste.