Fale Conosco

27 de setembro de 2011

Percentual de cura da dengue na PB é de 99,9 % do total de casos



O percentual de cura da dengue no estado é de 99,9 % do total de casos e o número de descartados foi de 2.998. Os dados são do boletim que corresponde à semana epidemiológica 37 (11 a 17 de setembro), divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES).

A Gerente Executiva de Vigilância em Saúde da SES, Júlia Vaz, explicou que a cada semana está sendo realizada a análise das inconsistências do banco de dados do Sistema de Informações de Agravos e Notificações (Sinan). “Na atual semana, o trabalho foi sobre as notificações dos casos de febre hemorrágica, o que resultou na redução de 93 casos para 89 em decorrência de duplicidades detectadas. Os casos foram notificados por dois serviços diferentes ao mesmo tempo”, explicou Júlia Vaz.

De acordo com ela, outro ponto a destacar são 161 casos de dengue clássica que haviam sido notificados anteriormente, e de sete casos de dengue com complicações também notificados em semanas anteriores, mas que aguardavam resultados de exames para classificação final.

A Secretaria da Saúde também concluiu esta semana a investigação retrospectiva em alguns prontuários de óbitos, que resultou na confirmação de mais um óbito por dengue em pessoa residente em João Pessoa. Este caso também ocorreu no período de maior incidência da doença e não na atual semana.

O boletim informa ainda que o número de casos suspeitos da Semana Epidemiológica 37 foi de 43 notificações informadas pelos municípios de João Pessoa, Cabedelo, Coremas, Esperança, Remígio, Catolé do Rocha, Conde, Nova Olinda, Pedra Lavrada, Pedras de Fogo e Pilões. Estes casos estão em processo de investigação. “Uma avaliação sobre o comportamento da doença ao longo do ano mostra que o momento de maior risco se deu na semana epidemiológica 13. A partir da semana 14 ocorre redução progressiva”, concluiu Júlia Vaz.

Acompanhamento – O monitoramento dos casos continua sendo realizado pela SES, que mantém as ações preventivas e educativas nos 223 municípios paraibanos. As visitas técnicas nas Gerências Regionais de Saúde também são constantes, assim como as capacitações e oficinas de orientação sobre a doença.

Devem ser mantidas as ações que previnem a proliferação do mosquito transmissor da doença, como tampar as caixas d’água, guardar os pneus em local coberto e seco, deixar as garrafas com a boca para baixo, observar sempre as calhas para ver se existe água acumulada e colocar areia nos pratos das plantas.

Novos dados – Até o dia 17 de setembro foram registrados 7.190 casos de dengue clássica (DCC); 114 de dengue com complicações; 89 de febre hemorrágica da dengue (FHD); sete  óbitos e  2.998 casos foram descartados.