Fale Conosco

6 de janeiro de 2014

Pelo terceiro ano consecutivo cidade de Sossego não registra homicídios



Há três anos que a cidade de Sossego, no Curimataú da Paraíba, não registra homicídios. Sem Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), desde 2011, o município comemora os números, que passaram a ser contabilizados oficialmente com a criação do Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social da Paraíba.

Sossego possui uma população de 3.376 habitantes e faz parte da 13º Área Integrada de Segurança Pública, na qual a sede fica na cidade de Picuí. Segundo o delegado seccional da região, João Joaldo Ferreira, o trabalho integrado das Polícias Civil e Militar faz a diferença nos números. Segundo ele, as ações partilhadas entre as duas equipes de segurança pública, o cumprimento de mandados de prisão e as operações constantes na área ajudam no combate da criminalidade. “Ações em conjunto trazem mais resultados. Esses três anos sem crimes violentos é a prova de que as polícias Civil e Militar estão fazendo um trabalho correto, esforçado e de manutenção”, ressaltou.

Outro gestor da área é o major Afonso Galvão. Ele reforça que as melhorias no equipamento operacional, como viaturas, armamento e um efetivo fixo também ajudaram a manter o resultado. O major Afonso Galvão destaca que a parceria entre a polícia e a comunidade também foi importante. “Traçamos um plano de trabalho na área de segurança pública para a cidade. Fizemos reunião com os moradores, conversamos com donos de estabelecimentos comerciais, tivemos audiência na Câmara Municipal e tudo isso contribuiu para o controle da criminalidade nesses três anos”, disse.

Ainda de acordo com o major Afonso Galvão, só depois da mobilização de todos e a intensificação de rondas e operações feitas por uma Patrulha Rural foi possível prender várias quadrilhas que agiam em toda extensão territorial de Sossêgo. “Acreditamos que, com o cumprimento de mandados de prisões e um trabalho de monitoramento, como palestras em escolas, rondas constantes e ações de inteligência conseguimos alcançar esse resultado mais uma vez em 2013”, finalizou o major Afonso Galvão.