Fale Conosco

7 de fevereiro de 2017

PBGás ganha mais clientes de gás natural canalizado no segmento comercial



A Companhia Paraibana de Gás (PBGás) vem registrando uma expansão considerável do gás natural canalizado no segmento comercial, o que refletiu no aumento de 16,5% do volume de consumo no ano de 2016 em relação a 2015. A carteira de clientes já soma 206 estabelecimentos comerciais em João Pessoa e Campina Grande, segundo informou o presidente da empresa, George Morais.

O cliente mais recente da PBGás é o Restaurante Nau Frutos do Mar, localizado no Espaço Gourmet do Manaíra Shopping, que iniciou as suas operações com gás natural na semana passada e se juntou ao Capital SteakHouse, que já utiliza o produto desde o final do ano de 2014.  Somente no Manaíra Shopping são 26 estabelecimentos comerciais entre restaurantes, lanchonetes, cafés, casa de show (Domus Hall) e a academia Prodígio ligadas ao gás natural, funcionando com mais eficiência e segurança.

“Ter restaurantes que são referências na boa culinária e na excelência do atendimento, demonstra a crescente aceitação do gás natural pelas suas vantagens como economia, comodidade, segurança e respeito ao meio ambiente. É um combustível a mais para a PBGás continuar expandindo a sua rede e gerando oportunidades de novos negócios para o nosso Estado”, destacou George Morais.

A empresária Luciana Maia afirmou que a redução nos custos, a comodidade do fornecimento contínuo e a segurança foram os principais motivos para que o grupo tenha optado pelo gás natural, tanto na unidade do Nau do Manaíra Shopping como nos empreendimentos em Natal e João Pessoa. “Iniciamos a operar com o gás natural no restaurante Mangai de João Pessoa e constatamos que as vantagens justificariam levar também para os demais restaurantes do grupo. Nossa avaliação é que a mudança valeu muito a pena”.

O gerente do restaurante Capital SteakHouse, Marcos Cândido, lembrou que nos mais de dois anos de operação com gás natural não foi registrada nenhuma falha no abastecimento, sendo bem mais tranquilo gerenciar o fornecimento de gás contínuo e que não irá faltar para o bom funcionamento do empreendimento. “Também consideramos desconfortável e perigoso estocar botijões de GLP dentro do estabelecimento, eliminando-se este incômodo com o gás natural canalizado”, completou.